A bala só vai cair na mão de milicianos, diz Wagner em discurso contra Bolsonaro

Declaração do petista ocorreu logo após o Senado derrubar os decretos que flexibilizam o porte e a posse de armas no Brasil

Alexandre Santos
Foto: Luiz Felipe Fernandez/bahia.ba
Foto: Luiz Felipe Fernandez/bahia.ba

 

O senador Jaques Wagner (PT) fez um duro discurso contra o presidente Jair Bolsonaro (PSL) na noite de terça-feira (18), logo após o Senado derrubar os decretos que flexibilizam o porte e a posse de armas no Brasil.

Ao mandar uma espécie de recado ao chefe do Planalto, o ex-governador baiano rechaçou o discurso pró-armamento e afirmou que “a bala só vai cair na mão de bandidos e milicianos”.

“Senhor presidente da República, pelo amor daquilo que vossa excelência tenha como mais sagrado, trate da recuperação econômica do país. Trate da volta do emprego. Trate da prosperidade de nossa gente. A bala só vai cair na mão de bandidos e milicianos”, disse Wagner.

O petista também afirmou ser “uma ilusão” a ideia de que armar a população seja a saída para o enfrentamento da violência.

“Não é verdade que dar armas à população fará com essa população se defenda. Não é verdade. Eu fui governador de Estado. Alguém, para manusear uma arma, tem que ter um treinamento longo, porque o efeito surpresa de um assalto, de uma agressão, a mão vai tremer tanto, que é possível que o detentor da arma seja morto com a própria arma que ele carregava na cintura.”

“Não é verdade. Vende-se uma ilusão à população. Estimula-se e faz-se a pregação do ódio. Não é isso que o Brasil está precisando”, criticou o senador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *