A China está no páreo para produtos argentinos

Dar as costas à Argentina, alega uma liderança empresarial, seria entregar um mercado cativo de produtos industriais brasileiros para a China. Para industriais, a vitória da oposição argentina freia a abertura no vizinho.

O que não seria de todo ruim. Neste cenário, o Brasil poderia referendar o acordo com a União Europeia e usufruir dos benefícios sem o prejuízo do aumento da competição no mercado argentino, que seguiria protegido.

Marcos Azambuja, ex-embaixador na Argentina e conselheiro do Cebri (Centro Brasileiro de Relações Internacionais), é mais cético. A eventual vitória da oposição somada à imagem negativa do governo Bolsonaro tende a colocar o acordo em letargia entre os europeus.  (Daniela Lima – FSP)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *