A Globo não aprendeu com a história

Opinião

A Rede Globo parece que não aprendeu com a história. Durante o governo de Juscelino Kubitschek (1956 – 1961), o deputado federal e ex-governador do Estado da Guanabara, Carlos Lacerda fez árdua oposição ao governo. Durante os seus raivosos discursos na tribuna da Câmara dos Deputados, e nas matérias destacadas em seu jornal, ‘Tribuna da Imprensa’, Lacerda conseguiu incitar os militares que por pouco não consumiram o golpe.

Em 1961 assume a presidência da república o udenista Jânio Quadros, tendo como vice-presidente o petebista João Goulart (havia eleições para presidente e para vice-presidente em duas chapas distintas). Com a renúncia de Jânio Quadros em 29 de agosto de 1961 e após um período de instabilidade institucional e da campanha que ficou conhecida como “campanha da legalidade” patrocinada pelo cunhado de João Goulart, o governador do Rio Grande do Sul, Leonel Brizola, Jango assume a presidência (primeiro em um regime parlamentarista, depois a partir de 1963 em um regime presidencialista) e propõe um conjunto de reformas que ficaram conhecidas como as “reformas de base”, que incluíam distribuição de renda, reforma agrária e outras medidas, consideradas, pela oposição, “comunizantes”. Iniciara-se um período de instabilidade política e atritos entre os diversos interesses da direita e da esquerda. O dos maiores causadores da anarquia instalada no país foi Carlos Lacerda com seu jornal.

A sede do Jornal Última Hora, de propriedade de Samuel Wainer, foi queimada em 2 de abril de 1964. Ele era aliado dos governos Getúlio, Juscelino e Jango. (Veja abaixo)

No inicio abril, os militares tomam o país através de um golpe. Pouco tempo depois, Lacerda passou de aliado a inimigo dos militares. A sede de seu jornal também foi invadida. Ele fugiu do país no porão de uma navio cargueiro escondido.  Fora do país, conseguiu fazer aliança com seus inimigo: Leonel Brizola, João Goulart e Juscelino Kubitschek. No dia 21 de maio de 1977, Lacerda morre no Rio de Janeiro aos 63 anos de idade e seu jornal não voltou a ser mais o que era.

Jango e Lacerda

A Globo que na época apoiou o golpe, anos depois se arrependeu. O comportamento da Globo tem alguma semelhança com o de Lacerda, por está contra a esquerda progressista, aliada politica a uma escória de direita, mas ao mesmo tempo está contra Bolsonaro e os militares. O clima político está esquentando com os militares já fazendo ameaças abertamente contra o Congresso Nacional, STF, a direita que o ajudou a colocar no poder, a própria Globo, Folha de São Paulo, Estadão, etc.

Bolsonaro já sinalizou que não vai renovar a concessão da Globo em 2023, e com isso, a família Marinho está correndo contra o tempo. A cada dia o clima esquenta em Brasília e a maioria da população com a cabeça no mundo da lua preocupada com coronavírus trancada dentro de casa.

Caso Bolsonaro consiga atingir seu objetivo passando por cima de tudo e de todos, implantando o sistema militar no país, todos os blogs, portais, emissoras de rádios, ou comunitárias de linha independente com comportamento imparcial, poderão sofrer suas limitações, ou as portas serão fechadas. Os movimentos políticos de protesto – a favor ou contra –  de direita ou esquerda, não serão permitidos. O toque de recolher pode ser outra medida. A TV Globo, Bandeirante, e outras, terão seus dias contados.

Se os veículos de comunicações com a direita contaminada, a esquerda rachada e desmoralizada, estão com pressa para tirar Bolsonaro do poder, por sua vez, o Presidente também está com muita pressa querendo aproveitar o que ainda resta de ibope.

Por José Eduardo de Oliveira

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *