Absurdo: Paulo Câmara rebate FBC e diz que não pediu votos em favor da reforma

Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem

Mais cedo, o líder do governo Jair Bolsonaro (PSL) no Senado, o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), atribuiu o placar folgado pela aprovação da reforma da Previdência aos votos de deputados ligados aos governadores do Nordeste. Segundo o emedebista, até mesmo o governador Paulo Câmara (PSB) teria se “engajado” na busca de votos para a aprovação da proposta. Paulo Câmara apressou-se em rebater o antigo aliado, por meio de uma nota oficial.

“O governador Paulo Câmara reitera sua posição contrária à Reforma da Previdência proposta pelo Governo Federal. Apesar de ter se colocado aberto ao diálogo durante todo o processo, o governador entende que o texto aprovado permanece focalizando mudanças que penalizam os trabalhadores mais pobres e não combatem privilégios”, escreveu.

O socialista lembrou o fechamento de questão contra a reforma decidido pelo PSB, do qual é vice-presidente nacional.

“Além disso, causa surpresa a Paulo Câmara a afirmação de que ele teria trabalhado em busca de votos de parlamentares para aprovar a reforma. O PSB fechou questão contra a PEC da Previdência e não existiu qualquer movimentação do governador na direção de contrariar a decisão partidária”.

Em entrevista, nesta quinta-feira (11), ao programa Passando a Limpo, na Rádio Jornal, FBC também classificou como “expressiva” as votações favoráveis à reforma entre deputados do PSB e PDT.

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

“Nesses últimos três dias, sob a liderança do presidente (do Senado) Davi Alcolumbre, os governadores se engajaram em busca de votos no texto que foi aprovado na Câmara. Na realidade, a votação de 379 votos contou com sim com o apoio dos governadores. Nós tivemos uma votação expressiva no PSB, com 11 votos. Nós tivemos uma votação expressiva também no PDT, com oito votos. E muitos parlamentares ligados aos governadores do Nordeste de outras siglas como o PSD, PP, PL, de fato, atenderam ao apelo e, por isso se explica a votação de 379 votos no dia de ontem (quarta), quando o esperado era entre de 330 a 335 votos”, disse Fernando Bezerra.

O senador destacou o único voto entre os deputados do PSB de Pernambuco: Felipe Carreras, que não seguiu a posição do partido e deu o “sim” à reforma. Carreras poderá sofrer uma punição da legenda, conforme disse, à Rádio Jornal, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, antes da votação dessa quarta (10).

“Nós queríamos que tivesse um pouco mais de votos em Pernambuco para ser sincero. Mas queremos registrar aqui o voto do deputado Felipe Carreras, que foi um voto importante pelo trabalho que ele realiza aqui em Brasília como representante do povo de Pernambuco na Câmara dos Deputados. E eu diria que o governador Paulo Câmara sim se engajou no processo de busca de votos. Nós tivemos, inclusive, conversa com ele. O presidente Davi ligou para ele, para o governador (da Bahia) Rui Costa (PT), para o governador (do Ceará) Camilo (Santana, PT), para o governador (do Piauí) Wellington (Dias, PT)”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *