Adolfo Viana satisfeito com publicação de projeto que levará água para Campo Alegre de Lourdes

Adolfo Viana

Da Redação

Enfim, foi publicado nesta quarta-feira (17), no Diário Oficial, o aviso de licitação pra execução de serviços de engenharia e obras para implantação do sistema integrado de abastecimento de água de Campo Alegre de Lourdes, Bahia, que atenderá cerca de 27 mil pessoas em 71 localidades de Pilão Arcado, Remanso e Campo Alegre, incluindo a sede do município. A execução da obra está a cargo da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) com recursos garantidos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Segundo informações da Codevasf, a elaboração do projeto executivo foi feita pela Companhia de Engenharia Rural da Bahia (CERB). O sistema integrado tem por finalidade básica o abastecimento da população urbana e das localidades situadas ao longo da adutora principal. A captação de água será feita no reservatório de Sobradinho, e daí conduzida por tubulação de 350 milímetros de diâmetro e 96 km de extensão, onde atenderá os outros municípios citados, até a sede do município de Campo Alegre de Lourdes.

O superintendente da Codevasf, Elmo Vaz, revela um diferencial importante nesta obra. “Esta é a primeira obra que estamos licitando por meio de regime diferenciado de contratação (RDC) – aprovado pelo Congresso Nacional, inicialmente, para as obras da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016, e depois estendido, por meio de emendas à lei, para as obras do PAC e outras obras”, assinalou.

Além de propiciar agilidade nos procedimentos licitatórios, o RDC permite a inclusão da operação temporária do sistema como obrigação da empresa contratada para execução da obra: durante três meses a partir da conclusão dos trabalhos, a empresa construtora terá que operar o sistema.

Campo Alegre

O município, embora esteja dentro da área do vale do São Francisco, fica a 120 km de distância do rio e não é cortado por nenhum curso de água permanente e situa-se no chamado polígono da seca. Os moradores que vivem uma situação caótica e de muito sofrimento esperam a construção da obra com muita expectativa. “Essa obra é muito importante para o município que sofre com a seca. Convivemos com esse problema a vida inteira. Com essa adutora, acreditamos que essa realidade vai mudar”, afirma Valdomiro Mendes, morador de Campo Alegre de Lourdes.

Mas, não é só a falta de água que castiga a população de Campo alegre, outra grande queixa da população é a estrada que dá acesso ao município. Do entroncamento de Remanso a Campo Alegre são 110 km de estrada sem pavimentação, quem transita por ela está sujeito a toda sorte de infortúnio pneu furado pelas pedras, assaltos, acidentes e a até mesmo a morte.

Claro que o novo sistema de abastecimento de água trará um acalanto, uma vez que atualmente o único abastecimento é de um açude poluído. A água é de péssima qualidade trazendo problemas de saúde para as pessoas, tanto pelo consumo quanto através do banho.

O deputado estadual, Adolfo Viana (PSDB) é uma das lideranças políticas da região que tem lutado para que o povo da região – e especificamente daquele município – seja beneficiado com as ações dos governos estadual e federal. “Esta é uma luta antiga, o projeto foi aprovado e esperamos que seja executado porque ninguém suporta mais tanta promessa, inclusive em época de campanha. Não só de água e estrada o povo de Campo Alegra precisa, mas de respeito e carinho”, relata Adolfo.

Viana tem, ainda, envidado esforços para que projetos de atenção ao povo que sofre com a seca, falta de estrada, saúde, educação seja beneficiados.

Da Redação

Enfim, foi publicado nesta quarta-feira (17), no Diário Oficial, o aviso de licitação pra execução de serviços de engenharia e obras para implantação do sistema integrado de abastecimento de água de Campo Alegre de Lourdes, Bahia, que atenderá cerca de 27 mil pessoas em 71 localidades de Pilão Arcado, Remanso e Campo Alegre, incluindo a sede do município. A execução da obra está a cargo da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) com recursos garantidos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Segundo informações da Codevasf, a elaboração do projeto executivo foi feita pela Companhia de Engenharia Rural da Bahia (CERB). O sistema integrado tem por finalidade básica o abastecimento da população urbana e das localidades situadas ao longo da adutora principal. A captação de água será feita no reservatório de Sobradinho, e daí conduzida por tubulação de 350 milímetros de diâmetro e 96 km de extensão, onde atenderá os outros municípios citados, até a sede do município de Campo Alegre de Lourdes.

O superintendente da Codevasf, Elmo Vaz, revela um diferencial importante nesta obra. “Esta é a primeira obra que estamos licitando por meio de regime diferenciado de contratação (RDC) – aprovado pelo Congresso Nacional, inicialmente, para as obras da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016, e depois estendido, por meio de emendas à lei, para as obras do PAC e outras obras”, assinalou.

Além de propiciar agilidade nos procedimentos licitatórios, o RDC permite a inclusão da operação temporária do sistema como obrigação da empresa contratada para execução da obra: durante três meses a partir da conclusão dos trabalhos, a empresa construtora terá que operar o sistema.

Campo Alegre

O município, embora esteja dentro da área do vale do São Francisco, fica a 120 km de distância do rio e não é cortado por nenhum curso de água permanente e situa-se no chamado polígono da seca. Os moradores que vivem uma situação caótica e de muito sofrimento esperam a construção da obra com muita expectativa. “Essa obra é muito importante para o município que sofre com a seca. Convivemos com esse problema a vida inteira. Com essa adutora, acreditamos que essa realidade vai mudar”, afirma Valdomiro Mendes, morador de Campo Alegre de Lourdes.

Mas, não é só a falta de água que castiga a população de Campo alegre, outra grande queixa da população é a estrada que dá acesso ao município. Do entroncamento de Remanso a Campo Alegre são 110 km de estrada sem pavimentação, quem transita por ela está sujeito a toda sorte de infortúnio pneu furado pelas pedras, assaltos, acidentes e a até mesmo a morte.

Claro que o novo sistema de abastecimento de água trará um acalanto, uma vez que atualmente o único abastecimento é de um açude poluído. A água é de péssima qualidade trazendo problemas de saúde para as pessoas, tanto pelo consumo quanto através do banho.

O deputado estadual, Adolfo Viana (PSDB) é uma das lideranças políticas da região que tem lutado para que o povo da região – e especificamente daquele município – seja beneficiado com as ações dos governos estadual e federal. “Esta é uma luta antiga, o projeto foi aprovado e esperamos que seja executado porque ninguém suporta mais tanta promessa, inclusive em época de campanha. Não só de água e estrada o povo de Campo Alegra precisa, mas de respeito e carinho”, relata Adolfo.

Viana tem, ainda, envidado esforços para que projetos de atenção ao povo que sofre com a seca, falta de estrada, saúde, educação seja beneficiados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *