Altman: Dino é o melhor nome depois do Lula, mas pela esquerda

Breno Altman, Lula e Flávio Dino
Breno Altman, Lula e Flávio Dino (Foto: 247 | Ricardo Stuckert)

Ele teme, no entanto, que a aliança do PCdoB com setores da direita, na proposta da “frente antifascista”, interfira no programa proposto pela esquerda de enfrentamento ao neoliberalismo. “É um pacto de extrema fragilidade, um erro”, afirma. “O que a esquerda precisa é de reconstruir sua identidade”, diz o jornalista.

Altman segue a análise reiterando que a frente antifascista é “fantasiosa” e “desastrosa”. “Seria um suicídio político. Uma frente com setores que defendem a mesma pauta ultraliberal de Bolsonaro, como FHC, Luciano Huck e Rodrigo Maia?”, questiona ele.

O jornalista também destaca que a “esquerda irá ficar subordinada à direita para abrir mão de seu programa antiliberal”.

Em contraponto às articulações com a direita, Altman defende “que a esquerda participe das lutas do povo e seja ativa na luta antibolsonarista”.

Confira:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *