Apesar de ter agredido um senador, Bolsonaro é inocentado no Conselho de Ética

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados decidiu arquivar uma representação do PSOL contra o  deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), acusado de ter agredido o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), durante visita dos membros da Comissões da Verdade do Congresso às antigas instalações do DOI-CODI, no Rio de Janeiro, em setembro último.

Bolsonaro alegou em sua defesa que não agrediu o senador. Como foi impedido de entrar no local, que chamou de “minha casa” por ser militar da reserva, afastou quem estava na sua frente e entrou.

O relator da representação, deputado Sérgio Moraes (PTB-RS), pediu o arquivamento do processo por falta de provas contra Bolsonaro, que foi inocentado por 11 x 0.

Para quem não lembra, trata-se daquele parlamentar que declarou em 2011 que estava “se lixando” para a opinião pública.

“Quem foi agredido foi eu. O PSOL tem dito na Comissão da Verdade que não quer o contraditório. Eles não me aceitam dentro dessa Comissão, mas perderam mais uma”, disse Bolsonaro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *