Após Globo, jornalista com câncer terminal volta a falar da grave doença e entrega drama: “Não estou morta”

A jornalista Ana Michelle Soares voltou a falar de sua doença em entrevista para a Veja
A jornalista Ana Michelle Soares voltou a falar de sua doença em entrevista para a Veja (Foto: Jefferson Coppola/VEJA)

Uma jornalista causou comoção ao conceder uma entrevista para a revista Veja e falar do câncer terminal que está enfrentando desde 2011. Hoje com 36 anos, ela ficou conhecida em todo o país após fazer uma participação no programa ‘Conversar com Bial’, da Globo.

A jornalista Ana Michelle Soares se tornou um verdadeiro símbolo e fonte de inspiração para muitas pessoas que se identificaram com sua história. Em trecho da entrevista ela relatou que mesmo com a grave doença, tem um pensamento fora dos padrões: “Tenho um câncer terminal mas não estou morta”.

Ana Michelle usa de suas redes sociais para falar da difícil situação que vive, no entanto, surpreende por levar tudo com bom humor. Ela explica o porque de expor. “Tive a ideia com uma amiga minha, a Renata, portadora de um câncer semelhante ao meu. A intenção é mostrar que não sou invisível. Tenho um câncer terminal, mas não estou no leito de morte. Não venci a doença, mas não morri. Estou bem. E agora? As pessoas têm obsessão pela cura”, disse a jornalista.

Em outro trecho, a jornalista expõe drama com os médicos: “Eles me deixaram ter esperança de cura quando isso já não era mais possível. Pensei em fazer transplante de fígado, o primeiro órgão afetado pelo câncer de mama, no momento em que o procedimento não resolveria nada. Recomendaram que eu congelasse óvulos quando já estava com o tumor metastático. Eu congelei! Para quê? Não vou mais engravidar… Eles têm de ser menos robóticos e aprender a lidar mais com o doente e menos com a doença”.

Para quem não se lembra, em outubro do ano passado a jornalista foi uma das convidadas do programa ‘Conversa com Bial’ e lá falou sobre o porque de tratar a doença com humor. “As pessoas não estão preparadas para rir de coisa óbvias. Quando a gente brinca com essas coisas de morrer de câncer, parece ofensivo. Mas é minha realidade”, declarou ela.

“Meu câncer não tem mais cura diante do que a medicina oferece hoje. Então, faço um tratamento paliativo junto com a quimioterapia tradicional”, disse a jornalista durante participação no ‘Conversa com Bial’.

Quando tinha 28 anos, Ana Michelle descobriu a doença e após muita luta, descobriu que não teria muito a se fazer, no entanto, nem por isso desistiu, e diferente de muitos dos casos semelhantes, a jornalista seguiu forte e hoje convive com a situação e faz questão de compartilhar com as pessoas a experiência.

A jornalista abriu o jogo sobre a doença terminal que enfrenta
Jornalista que enfrenta o câncer há 8 anos falou sobre o caso em entrevista para a revista Veja (Foto: Reprodução/ Globo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *