Arma do Santos, bola parada é ameaça para o Flamengo no duelo do Brasileirão

Na Libertadores, único gol sofrido pelo Flamengo contra o Inter foi em cabeçada de Rodrigo Moledo
Na Libertadores, único gol sofrido pelo Flamengo contra o Inter foi em cabeçada de Rodrigo Moledo Foto: DIEGO VARA / REUTERS
João Pedro Fonseca

Um duelo entre líder e vice-líder do Brasileirão tem tudo para ser decidido nos detalhes. E, no caso de Flamengo e Santos, que se enfrentam neste sábado, no Maracanã, a diferença pode se dar a partir das jogadas de bola parada. Esse é um dos principais trunfos ofensivos do time de Jorge Sampaoli e também uma das maiores inseguranças defensivas da equipe de Jorge Jesus.

O apetite para o ataque permitiu ao Peixe marcar 30 vezes na competição até aqui, mesmo com um elenco bem menos estrelado que o do rubro-negro. E o fato de muito desses gols terem se originado em lances de bola parada evidencia o dedo do técnico.

Defender um escanteio contra o Santos vai além da cobrança propriamente dita. A maneira como Sampaoli organiza seus jogadores faz, da “sobra”, um risco. Foi assim que Jorge marcou o terceiro no empate com o Fortaleza (3 a 3), na 16ª rodada. Posicionado na entrada da área, o lateral-esquerdo estava pronto para arrematar de primeira.

Também é preciso estar atento às cobranças de falta perto da área. Atlético-MG, São Paulo e Goiás estão entre os que já sofreram em lances similares a favor do Santos neste Brasileirão. Na goleada por 6 a 1 sobre o time goiano na Vila Belmiro, Sánchez — principal responsável pelas batidas santistas — cruzou de longe para Lucas Veríssimo completar para o gol.

A trama é bem parecida à da partida entre Flamengo e Internacional, pelas quartas de final da Libertadores. No Beira-Rio, foi D’Alessandro quem acionou Rodrigo Lindoso no empate em 1 a 1 que confirmou o rubro-negro na semifinal da competição, contra o Grêmio.

É verdade que o Flamengo está longe da fragilidade defensiva do início da passagem de Jorge Jesus, quando não conseguia ficar uma partida sem sofrer gol. Enquanto calibrou o ataque, o treinador português também fortaleceu movimentos defensivos da sua equipe, que não foi vazada nas últimas três rodadas do Brasileirão. Apesar disso, as chegadas dos adversários pelo alto seguem trazendo dor de cabeça.

No histórico recente do Flamengo, além do gol de Lindoso, está o de Leandro Castán na goleada sofrida pelo Vasco, em Brasília, por 4 a 1. E, mesmo quando a bola na rede não valeu, ela deu sustos na torcida rubro-negra. Na vitória (3 a 0) sobre o Palmeiras, Willian teve gol anulado por impedimento de Vitor Hugo (capturado pelo VAR) após bola levantada na área em cobrança de falta.

Com 39 pontos, o Flamengo precisa apenas de um empate, no Maracanã, para garantir o título simbólico do primeiro turno. Se vencer, o Santos fechará a metade inicial do torneio na ponta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *