Bolsonaro chama repórteres de “urubus” e volta a pregar fim do isolamento social

Presidente ignorou a imprensa no Palácio da Alvorada e, a apoiadores, disse que 70% da população precisa ficar infectada para que o país se livre do coronavírus

Foto: Isac Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro segue com uma postura distinta da maioria dos líderes mundiais e continuou, nesta sexta-feira (3), defendendo o fim do isolamento social – indo contra todas as recomendações de especialistas sobre a contenção da disseminação do coronavírus.

Antes de pregar a “volta à normalidade” que já havia incentivado em pronunciamento em cadeia nacional, o capitão da reserva teceu mais um de seus tradicionais ataques à imprensa, chamando jornalistas de “urubus”.

“Eu não cheguei aqui… pelo milagre da facada, e a eleição também, para perder para esse urubus aí”, disse o presidente ao responder uma apoiadora na porta do Palácio da Alvorada. Bolsonaro gesticulava em direção a um grupo de repórteres enquanto usava o termo “urubus”.

Depois, ainda a apoiadores – o mandatário ignorou os jornalistas presentes -, Bolsonaro criticou as medidas de isolamento que vêm sendo impostas por governadores e prefeitos, indo contra as orientações, inclusive, de seu ministro da Saúde, e ainda disse que “a nação vai ficar livre da pandemia depois que 70% for infectado e conseguir os anticorpos”.

Na quarta-feira (1), em entrevista a José Luiz Datena, Bolsonaro chegou a pedir para os jovens brasileiros contraiam o coronavírus antes do inverno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *