Botafogo enfrenta o Barcelona de Guayaquil buscando uma vaga nas oitavas da Libertadores

Camilo, principal jogador da última partida do Botafogo pela Libertadores
Camilo, principal jogador da última partida do Botafogo pela Libertadores Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo
Augusto Decker
 

Hoje o Botafogo entra em campo com mais do que uma simples vitória em jogo. Caso vença o Barcelona de Guayaquil, no Equador, o Alvinegro assume a liderança isolada do Grupo 1 e praticamente garante a classificação para as oitavas de final. Desde que a competição começou a contar com 32 equipes na primeira fase, em 2000, apenas uma vez um time que venceu as três primeiras partidas foi eliminado: o América de Cali, em 2005. A classificação deflagraria o melhor momento do Botafogo no futebol internacional em décadas — a última vez que o clube chegou às oitavas de uma Libertadores foi em 1996.

Mesmo que não vença, o Alvinegro continua na zona de classificação após a rodada e dependerá apenas de si, com duas partidas em casa.

Apesar de ter sido visto como o mais fraco do grupo antes do início da competição, o Barcelona é um dos cinco clubes com 100% de aproveitamento nas duas primeiras rodadas — grupo que também inclui o próprio Botafogo.

A força do adversário é mais preocupante até do que os desfalques do Botafogo, que, além das baixas antigas (os laterais direitos e o goleiro Jefferson), não terá Airton e Montillo, que sequer viajara Victor Luis, Rodrigo Pimpão e Carli não treinaram.m com bola na segunda-feira, mas não preocupam para hoje. A escalação do Alvinegro deve ser parecida com a da vitória sobre o Atlético Nacional.

BARCELONA CHEGA ENFRAQUECIDO

Apesar de o último jogo do Botafogo ter sido uma derrota (para o Vasco, no domingo), é possível dizer que a equipe chega com moral alta hoje. Não é exatamente o caso do adversário. Espera-se que o Barcelona de Guayaquil entre em campo com três desfalques e vindo de uma derrota num clássico importante domingo passado.

O volante Damián Diaz, um dos principais jogadores da equipe, não jogará. Ele foi suspenso por quatro rodadas pela Conmebol após ser expulso contra o Atlético Nacional. O jogador já cumpriu o primeiro jogo da suspensão, na última partida, mas ainda não está apto a retornar.

Outros dois atletas são dúvida: os meias Matías Oyola e Erik Castillo. Ambos se lesionaram recentemente, mas o departamento médico do clube equatoriano só baterá o martelo após uma avaliação médica dos dois na manhã de hoje.

Não bastasse tudo isso, o clube ainda vem de derrota dura, contra o Emelec, domingo. É mais um tropeço numa campanha fraca até aqui na liga nacional. Campeã isolada no ano passado, a equipe ocupa hoje apenas a sexta colocação.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *