“Burguesia brasileira quer transformar Lula em Tancredo Neves e Geraldo Alckmin em José Sarney”, diz Alysson Mascaro

Professor da USP diz que classes dominantes estão tentando controlar o processo de saída do fascismo, assim como aconteceu no fim da ditadura militar

www.brasil247.com - Alysson Mascaro, Lula e Alckmin
Alysson Mascaro, Lula e Alckmin (Foto: Reprodução/Facebook | Ricardo Stuckert)

O professor e filósofo do direito Alysson Mascaro, da Universidade de São Paulo, afirmou, em entrevista ao jornalista Leonardo Attuch, editor da TV 247, que as classes dominantes estão tentando controlar o processo de saída do fascismo. “Há uma movimentação da burguesia brasileira. Houve um câmbio. O controle da sociedade é da burguesia, não dos militares. Precisamos entender por que a burguesia desembarcou do bolsonarismo”, diz ele. “Quando a burguesia percebeu a falência da ditadura, ela fez esse mesmo movimento. Mas capturou o movimento de saída, mantendo o domínio da sociedade. A burguesia desembarcou da resistência à abertura para controlar a abertura”, afirma.

Mascaro enfatiza que a burguesia brasileira é a mãe do bolsonarismo e que o ódio contra a esquerda não acabou. “O que mudou foi a estratégia da burguesia e nada garante que não haja um golpe no ano que vem”, aponta. “Fazer de Lula o Tancredo Neves e de Geraldo Alckmin o José Sarney é o processo que está acontecendo”, alerta.

Na sua opinião, é preciso mobilização social para que o governo Lula possa fazer mais do que mudanças apenas pontuais. “O pós-eleição precisa ser disputado desde já. Até porque isso significa de que governo Lula estaremos falando em 2023”, diz ele.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.