Câmara contrata empresa para abastecer dois carros depois das eleições

camara_municipal_uaua_fachada

Da Redação

Como se não bastasse às inúmeras denúncias veiculadas na imprensa sobre o atual gestor de Uauá/BA, Jorge Lobo (PRTB), agora pesa sobre a presidência da Câmara Municipal – de responsabilidade do vereador João Alves (PSD) – aplicativos de aditivos relacionados a contratos.

Depois das eleições, o gestor decidiu enxugar o quadro de funcionários, que provavelmente teria como objetivo reduzir despesas ou fechar as contas de sua gestão a exemplo do que foi publicado no Diário Oficial do Município quando através de portaria, datada de 31 de outubro de 2012, rescindiu contratos temporários dos seguintes servidores: Ibson Breno da Silva Andrade, Jairo Félix Cordeiro, Jackson Cardoso da Silva e Diego Dantas de Freitas.

O estranho é que em outro processo, o gestor aditivou – que tem como meta acrescentar em 25% o valor de despesas – o contrato de numero 026/2012 no valor de R$ 12.896,25 que tem como principal objetivo, a contratação de empresa especializada no fornecimento de combustíveis para manutenção dos veículos locados pela Câmara Municipal de Uauá. Valor global: passa a ser de R$ 64.481,25. Esse contato foi assinado no dia 1º de novembro, quer dizer, menos de um mês das eleições onde o presidente disputou como vice-prefeito na chapa de Lindomar Dantas (PT), que teve o apoio do prefeito Jorge Lobo.

Desconfiado, o advogado Pedro Arsênio Peixinho Guimarães, diz que esse aditivo pode está relacionado a despesas de campanha. “É bom atentar que Câmara possui apenas dois veículos (GOL), sendo que um ninguém sabe onde fica, é um fantasma. O outro só serve para o Presidente e a sua “gloriosa” família. Isso é um absurdo, é o dinheiro público entrando pelo ralo, isso é caso de policia”, disparou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *