Câmara de Petrolina termina o ano de forma negativa

Da Redação

A ausência do número mínimo de vereadores na Câmara de Petrolina, na manhã de quinta (22), fez a Mesa Diretora suspender o que seria a última sessão ordinária de 2011. Apenas 6 vereadores compareceram, a única das ausentes que justificou foi Anatélia Porto (PSD). Os atrasados foram Dedé da Simpatia (PSDB), Osinaldo Souza (PP), Pérsio Antunes (PMDB). Ibamar Fernandes (PRTB) e Alvorlande Cruz (PRTB) nem chegaram a aparecer.

A presidenta da Casa Plínio Amorim, Maria Elena (PSB), mostrou-se bastante desconfortável com a situação e lamentou o acontecido. “A gente fez um trabalho no sentindo de prosperar e na maioria das vezes prosperou. Mas a gente espera que não passemos por isso ano que vem. Por muitas vezes, tivemos de encerrar sessões por falta de coro e hoje, a última sessão do ano, tínhamos projetos importantíssimos, que trata o veto à pauta colocada, e hoje, às 10h15, só tínhamos 6 vereadores na casa. E a gente termina o ano assim. Mas não chegou a ser um ano negativo por tudo o que produzimos, temos um relatório positivo com nossas falhas e avanços”, comentou.

A vereadora disse ainda que devido à importância da votação parcial do prefeito à Lei Orçamentária Anual do exercício financeiro 2012, talvez seja necessário realizar este ano uma sessão extraordinária. “A Câmara, tem prazo para não se prejudicar em relação ao nosso orçamento – o que pode ser uma jogada do prefeito para tirar do nosso orçamento, então precisamos fazer articulações para se reunir ainda este ano, fazer uma sessão extraordinária”.

Na oportunidade a Presidente da Câmara rebateu as acusações da deputada Isabel Cristina (PT) referente ao projeto que diz respeito ao aumento de vereadores. “Gostaria de fazer um esclarecimento, infelizmente tem pessoas públicas que às vezes fazem questão de não compreender o processo e dar opiniões que muitas vezes maltratam e magoam as pessoas. Quero dizer a Deputada Isabel Cristina que não sou fraca como ela mesma afirmou, o que ela disse não me abala, não estou aqui para favorecer e nem desfavorecer a ninguém, seria fraca se estivesse colocado o projeto e o mesmo fosse reprovado e prevalecesse nos 14, fui forte e estou demonstrando o que é a democracia”, disparou.

Reavaliação para 2012 – “O regimento interno vai funcionar para o ano e quantas reuniões forem necessárias encerrar, vamos encerrar. Essa coisa de ficar segurando as pontas até que oito vereadores cheguem e possamos começar a sessão vai acabar. Uma forma de trazer o vereador para seu compromisso de terças e quintas? Não é de acordo com a agenda. A agenda é que tem que ser de acordo com os trabalhos aqui”, determinou, dizendo que não espera ser enxergada como autoritária em sua nova atitude.

Durante o ano de 2011, em algumas sessões ordinárias, Maria Elena causou várias polêmicas, deu pito – bem merecido – em alguns de seus pares, fez cara feia para jornalista, se desentendeu com comunitário na prefeitura, em fim, foi um ano bastante tumutuado.

A ausência do número mínimo de vereadores na Câmara de Petrolina, na manhã de quinta (22), fez a Mesa Diretora suspender o que seria a última sessão ordinária de 2011. Apenas 6 vereadores compareceram, a única das ausentes que justificou foi Anatélia Porto (PSD). Os atrasados foram Dedé da Simpatia (PSDB), Osinaldo Souza (PP), Pérsio Antunes (PMDB). Ibamar Fernandes (PRTB) e Alvorlande Cruz (PRTB) nem chegaram a aparecer.

A presidenta da Casa Plínio Amorim, Maria Elena (PSB), mostrou-se bastante desconfortável com a situação e lamentou o acontecido. “A gente fez um trabalho no sentindo de prosperar e na maioria das vezes prosperou. Mas a gente espera que não passemos por isso ano que vem. Por muitas vezes, tivemos de encerrar sessões por falta de coro e hoje, a última sessão do ano, tínhamos projetos importantíssimos, que trata o veto à pauta colocada, e hoje, às 10h15, só tínhamos 6 vereadores na casa. E a gente termina o ano assim. Mas não chegou a ser um ano negativo por tudo o que produzimos, temos um relatório positivo com nossas falhas e avanços”, comentou.

A vereadora disse ainda que devido à importância da votação parcial do prefeito à Lei Orçamentária Anual do exercício financeiro 2012, talvez seja necessário realizar este ano uma sessão extraordinária. “A Câmara, tem prazo para não se prejudicar em relação ao nosso orçamento – o que pode ser uma jogada do prefeito para tirar do nosso orçamento, então precisamos fazer articulações para se reunir ainda este ano, fazer uma sessão extraordinária”.

Na oportunidade a Presidente da Câmara rebateu as acusações da deputada Isabel Cristina (PT) referente ao projeto que diz respeito ao aumento de vereadores. “Gostaria de fazer um esclarecimento, infelizmente tem pessoas públicas que às vezes fazem questão de não compreender o processo e dar opiniões que muitas vezes maltratam e magoam as pessoas. Quero dizer a Deputada Isabel Cristina que não sou fraca como ela mesma afirmou, o que ela disse não me abala, não estou aqui para favorecer e nem desfavorecer a ninguém, seria fraca se estivesse colocado o projeto e o mesmo fosse reprovado e prevalecesse nos 14, fui forte e estou demonstrando o que é a democracia”, disparou.

Reavaliação para 2012 – “O regimento interno vai funcionar para o ano e quantas reuniões forem necessárias encerrar, vamos encerrar. Essa coisa de ficar segurando as pontas até que oito vereadores cheguem e possamos começar a sessão vai acabar. Uma forma de trazer o vereador para seu compromisso de terças e quintas? Não é de acordo com a agenda. A agenda é que tem que ser de acordo com os trabalhos aqui”, determinou, dizendo que não espera ser enxergada como autoritária em sua nova atitude.

Durante o ano de 2011, em algumas sessões ordinárias, Maria Elena causou várias polêmicas, deu pito – bem merecido – em alguns de seus pares, fez cara feia para jornalista, se desentendeu com comunitário na prefeitura, em fim, foi um ano bastante tumultuado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *