Caso Aldeia: advogado dará entrada no Habeas Corpus nesta terça-feira

Há quatro dias presa a esposa do médico foi transferida para uma cela especial, por ter curso superior. O filho continua em uma cela de isolamento

Eles foram autuados por ocultação de cadáver do médico, que foi esquartejado na casa onde a família morava em Aldeia / Foto: Reprodução/Facebook

Eles foram autuados por ocultação de cadáver do médico, que foi esquartejado na casa onde a família morava em Aldeia
Foto: Reprodução/Facebook
JC Online

Um pedido de habeas corpus de esposa e filho de médico esquartejado em Aldeia, deve ser emitido na terça-feira (10) pelo advogado que age em defesa dos suspeitos. Inicialmente autuados por ocultação de cadáver, a farmacêutica Jussara Rodrigues Silva Paes e o engenheiro civil Danilo Rodrigues Paes aguardam a decisão da justiça nos presídios.

Em conversa com o Jornal do Commercio, o advogado Alexandre Oliveira relata que já foi solicitado à delegada Carmem Lúcia, que está responsável pelo caso, a cópia dos autos para que o pedido de habeas corpus seja feito.

Ainda de acordo com o advogado, por volta das 14h de terça-feira a ação deve ser entregue ao júri para avaliação.

Celas especiais

Há quatro dias nas celas da prisão da Colônia Penal Feminina Bom Pastor, no Recife , Jussara pôde ser transferida para uma ala especial, que é reservada para presas com diploma de ensino superior. Alexandre Oliveira conta que na manhã desta segunda-feira (9), entregou o diploma de sua cliente, como certificação da graduação dela.

Já Danilo, o filho mais velho do casal, mesmo tendo concluído recentemente o curso de engenharia civil, ainda não obteve o diploma, o que dificulta a transferência dele para uma cela diferenciada. Em visita ao Centro de Triagem de Abreu e Lima (Cotel), onde o garoto está preso, o advogado presenciou cenas que, segundo ele, “não estão certas”. Isso porque o rapaz está em uma parte da prisão chamada de “setor da disciplina”.

Por telefone, o advogado conta que neste local as celas parecem “jaulas”, e é onde ficam os presos mais perigosos. Ainda sem algum documento que comprove que Danilo é graduado, Alexandre diz que precisará ir até a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), para solicitar uma declaração da instituição relatando que o ex-aluno já cumpriu com toda a grade curricular do curso de engenharia civil, e se formou com êxito.

Até que o documento seja anexado aos autos do processo, Danilo continua na cela reservada.

Decreto

Em nota, o Tribunal de Justiça de Pernambuco detalhou o decreto de prisão de 30 dias expedido pela juíza Marília Falcone, emitido na quinta-feira (5).

“A juíza Marília Falcone, da 1ª Vara Criminal de Camaragibe, decretou a prisão temporária de Jussara Rodrigues da Silva Paes e Danilo Paes acusados do homicídio de Dernirson Paes da Silva, em Aldeia. O prazo da prisão temporária corresponde a 30 dias. Jussara Rodrigues da Silva Paes será encaminhada para a Colônia Penal Feminina Bom Pastor e Danilo Paes para o Centro de Triagem de Abreu e Lima (Cotel).

Na manhã desta quinta-feira (5/7), eles participaram de uma audiência de custódia no Fórum de Jaboatão pela ocultação de cadáver de Dernirson Paes da Silva. Por esse crime, o juiz Otávio Ribeiro Pimentel havia concedido alvará de soltura com aplicação de medidas cautelares.

Neste momento, eles terão que cumprir a prisão temporária a 30 dias, podendo ser renovada por mais 30 dias.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *