Chamar policial de macaco faz parte da cultura nordestina, diz PT de Curaça

Uma nota publicada pelo Partido dos Trabalhadores do município de Curaça, no norte baiano, causou espanto nas redes sociais. A sigla defende, em comunicado no Instagram datado de 19 de setembro, a servidora do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) que chamou um policial militar negro de “macaco” e ainda deu um tapa no rosto.

A mulher foi presa em flagrante por agressão contra a companheira e o soldado da PM, além de injúria racial. O caso aconteceu no dia 16 de setembro, em um condomínio no bairro do Vale dos Lagos, em Salvador, conforme noticiado em primeira mão pelo Informe Baiano.

O texto assinado pelo presidente municipal Júlio Cézar Lopes é claro e direto: “Nós, do Partido dos Trabalhadores de Curaçá, reconhecemos a grandeza de suas lutas e, creditados as palavras, que foram ditas não a RACISMO, mas a cultura nordestina e Curaçaense, herdada de Lampião, de chamar policiais de Macaco”. Veja abaixo o vídeo e também a nota na íntegra do PT de Curaça:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *