Cota realiza limpeza nas ruas, na folha de pagamento e se preocupa com a água distribuída

Equipe limpa as ruas de Casa Nova

Grazzielli Brito – Ação Popular

Em apenas três dias de trabalho, Wilson Cota (PMDB), já mudou a cara de Casa Nova. A cidade que antes tinha sujeira e lixo desde sua entrada até ruas e avenidas, já está sendo limpa. Já se percebe a presença de máquinas trabalhando equipe de limpeza nas ruas, o município passa a ter outro aspecto e isso reflete na vida das pessoas.

Na beira da estrada não existe mais lixo e mau cheiro

“É uma preocupação minha limpar essa cidade. Vocês percebem isso aqui na sede, mas os distritos também já estão passando por esse processo de limpeza. Uma equipe já foi pra Pau a Pique e Santana do Sobrado”.

O trabalho já começou

“Sobre esse lixão (lixão dentro da cidade) vou procurar um lugar mais apropriado pra remover ele daqui. Nunca vi prefeitos e prefeitas gostarem tanto de lixo como esses que passaram por Casa Nova, eles traziam o lixo pra perto deles”, provocou o prefeito.

Funcionários Fantasmas

O que Wilson Cota pode fazer de imediato ele está fazendo, mas pede calma à população para os próximos projetos. “Vou fazer primeiramente uma auditoria, que vai durar 120 dias. Não posso estar gora contratando gente, ainda nem tivemos a folha de pagamento, estamos fazendo esse levantamento para dar baixa em algumas pessoas que estão nela de maneira irregular”, para identificação dessas pessoas.

Dejetos sanitários ao lado da ETA

Cota baixou decreto onde todos os servidores devem se apresentar em seus setores para fazer um recadastramento. “Uma senhora veio dizer que mora em São Paulo, mas que está na folha e que outra pessoa recebe, essa já foi cortada da folha”.

Água bruta que era distribuídas para as residências

“Não vai ser em dois ou três dias que organiza isso, mas tô fazendo de tudo para para recuperar a máquina administrativa. Existe secretarias que a gente vai e não encontra nada. A coisa é mais feia do que se imagina. Tinha um médico na Vila Galvão que recebia 9 mil por mês pra trabalhar em um posto que nem existia, e esse vai ser denunciado ao Ministério Publico Federal, porque vinha sendo pago com verba federal e ele vai ter que devolver esse dinheiro”, lamenta Cota.

Estação de Captação em local aberto

Algumas pessoas que trabalharam durante a campanha querem espaço na administração para ajudar o novo gestor. “Não adiante Wilson Cota ganhar essa eleição, querer trabalhar sério sem a compreensão das pessoas. Eu não tenho condições de dar espaço a todos, eu tive 24.854 votos, não posso colocar todas essas pessoas na prefeitura”, explicou.

Água poluída era distribuída à população

Uma grande preocupação de Wilson Cota desde a campanha sempre foi a qualidade da água. “A situação do Saae é crítica, o diretor da Coelba entrou em contato comigo pra dizer que o órgão tem uma dívida de 150 mil reais, mas, o pior é a qualidade da água que vem sendo distribuída. O ex-prefeito colocou licitação para um projeto absurdo que já vou cancelar, é um projeto antigo da ex-prefeita (Dagmar Nogueira), que passou pra ele e até agora nada, até a empresa desistiu”.

O descaso com o dinheiro na construção dos filtros na ETA

“Estamos com uma equipe pra determinar com engenheiros competentes como resolver essa situação, vou fazer um projeto o mais rápido possível pra resolver de vez esse problema. Por enquanto para melhorar a água estamos tratando a base de produtos químicos, isso até agente poder realizar o projeto maior que vai resolver de uma vez por todas o sistema de abastecimento”.

Os filtros não funcionavam

A reportagem do Ação Popular esteve na Estação de Tratamento (ETA) e viu de perto o descaso cometido pela então administração Orlando Xavier (PR). No local foi detectado o desperdício do dinheiro público na construção de dois novos filtros, esgotamento sanitário estourado ao lado da ETA lançando dejetos fecais pela via de acesso, falta de segurança, mato para todos os lados, estrutura do prédio danificada, falta de profissionais, equipamento para tratamento da água desativados e sem cloro, instalação hidráulica arrebentada, dentre outras coisas.

A falta de responsabilidade com a segurança da saúde pública foi mais além do que todos pudessem imaginar diante do risco de morte que todos estiveram propícios Na Estação de Capitação os canos da rede são ultrapassados, enferrujados, causando vazamento ao longo do percurso. Toda ela é da época da Casa Nova antiga, e deveria ter sido trocada desde aquela época.

O local é aberto para qualquer pessoa, ocorrendo o risco de alguém jogar algum tipo de veneno, que por sua vez passaria direto pela Estação de Tratamento – já que a mesma redistribui a água sem tratamento – chegando nas torneiras das casas. “Eles brincaram com a vida de milhares de pessoas, inclusive das criancinha e velhos. Agora imagine o risco de uma catástrofe que todos nós estávamos sujeitos”, lamentou Cota.

Problema da Seca

Segundo o prefeito, seu antecessor não renovou o pedido de emergência por conta da seca, dificultando as ações a serem tomadas daqui pra frente. “Por enquanto não posso mexer em nada, nem tive acesso ao documento necessário. E quando eu for mandar água para o interior não vou distribuir fichas para quem votou em mim , como era feito antes, todo mundo vai receber”.

Com a palavra os ex-gestores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *