Covid-19 vira principal causa de afastamento do trabalho e deve ampliar concessões

Nos sete primeiros meses deste ano, doença ultrapassou os problemas relacionados à coluna e somou 68.014 concessões de auxílio-doença

Redação
Foto: Secom/PMS
Foto: Secom/PMS

 

A Covid-19 se tornou a principal causa de afastamentos do trabalho acima de 15 dias no Brasil, gerando o maior número de benefícios por incapacidade temporária (antigo auxílio-doença) nos primeiros sete meses de 2021.

Depois de ficar em 3º lugar em 2020, a doença superou os problemas relacionados à coluna e somou 68.014 concessões até julho deste ano, segundo dados do Ministério do Trabalho e Previdência. O número já equivale a 54,5% das liberações para segurados com a doença em todo ano passado.

Especialistas ouvidos pelo portal G1 relataram que deve persistir a médio prazo o crescimento no número de concessões de benefícios por incapacidade por causa das sequelas decorrentes da Covid-19.

Caso essas sequelas resultem na incapacidade de trabalhar, os segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) contam com o recebimento do auxílio por incapacidade temporária. Mas é necessário comprovar que as consequências da Covid-19 comprometeram a capacidade laboral.

Há ainda a possibilidade de obter o direito à aposentadoria por invalidez, quando as sequelas resultam na incapacidade definitiva para trabalhar. Nesse caso, o auxílio-doença é convertido em aposentadoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *