Denúncia leva Comissão de Saúde da Câmara ao Hospital Regional de Juazeiro

 

Seguidas denúncias e reclamações de funcionários levaram o Presidente da Câmara de Vereadores de Juazeiro, Alex Tanuri (PP) e integrantes da Comissão de Saúde a visitarem na tarde desta quarta-feira (03/06) diversos setores do Hospital Regional de Juazeiro.

Diretor JUridico do Hospital Regional mostra máscara que teve preços alterados em mais de 500 por cento

As reclamações dizem respeito ao atraso de três meses de salários dos funcionários; a informação da existência dez leitos de UTI, quando só existem cinco, a falta de medicamentos e insumos do dia a dia e até a falta de treinamento para o uso correto dos EPIs, também insuficientes, por parte dos funcionários.

Presidente Alex Tanuri apresenta denúncias e cobra providências

A Presidente da Comissão, Neguinha da Santa Casa; o vereador e médico Allan Jones, o Vereador Anastácio, o Vereador Pastor Roberto e o Presidente da Câmara, Alex Tanuri foram recebidos pela Diretora Geral do Hospital Regional de Juazeiro, Hucilene Simões e pelo Diretor Jurídico, Manoel Silva Junior.

Presidente da Câmara Presidente da Comissão e Vereador Alan Jones na farmácia do hospital regional

Para as questões colocadas pelo presidente foi explicado que “há intercorrências em todos os casos e o não atendimento do paciente foi uma destas intercorrências” – diz Hucilene Simões, dispondo-se mostrar a ala de UTI para verificação da existência dos equipamentos.

Tensa, a Diretora mostra documentos provando treinamento de funcionários

Sobre o salário, para a Diretora o atraso é de “apenas” dois meses: “O que deveria ter sido recebido dia 5 de abril e 5 de maio será pago ainda esta semana, pois recebemos a nota e o empenho do Governo do Estado”.

Presidente da Câmara e Vereadores da Comissão de Saúde visitam hospital

Os vereadores acompanharam a Diretora à farmácia e almoxarifado, constataram a existência dos insumos, mas insuficientes, para uma margem mínima de segurança. Quem explica a situação é o Vereador Alan Jones: “Por exemplo, se há um consumo de dez caixas de soro diariamente, há de ter um estoque mínimo que garanta o consumo de uma semana pelo menos. Depender da entrega, comprar sem uma programação, é arriscar-se diante do imprevisível e colocar vidas em risco”.

Saindo do hospital vereadores concordam que há falhas e veracidade nas denúncias

“Pode até não ser responsabilidade da empresa que administra o Hospital, pois os repasses do Estado parece que não obedecem a datas” – diz Alex Tanuri – “Mas, não se justifica atraso de dois meses de salários para profissionais da saúde, essenciais e que merecem todo o respeito possível”.

 

Na reunião, tensa, entre vereadores e Diretoria do Hospital, foi apresentado um relatório da Vigilância Sanitária da última segunda-feira que dá veracidade às denúncias. A conclusão da inspeção da Vigilância, entre outras coisas, diz: O Hospital Regional de Juazeiro deverá ser monitorado quanto a disponibilidade de EPIs para os funcionários e medicamentos para os pacientes”.

A informação que pacientes regulados com suspeita ou confirmação de COVID 19 podem ser deslocados para Paulo Afonso, Salvador ou Remanso causou estranheza aos vereadores: “Vai contra toda a lógica trazer o paciente para o Regional de Juazeiro e encaminhá-lo para outra cidade. É custo e risco. Não há sentido nisso” – concordam Alan Jones e Alex Tanuri.

A explicação é para não sobrecarregar os dez leitos disponíveis. “Então que o governo providencie leitos em número suficiente para atender Juazeiro” – concordam novamente os vereadores da Comissão.

Conclusão do relatório da Vigilância vê falhas e recomenda monitoramento

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *