Dirigente do Botafogo: ‘Tomara que o Flamengo não precise treinar no cemitério do Caju’

Postura da equipe rubro-negro tem sido alvo de críticas da diretoria alvinegra

Por O Dia

Treino Flamengo
Treino Flamengo – Alexandre Vidal / Flamengo
Integrante do Comitê Gestor de Futebol e ex-presidente do Botafogo, Carlos Augusto Montenegro, voltou a criticar a postura do Flamengo sobre a volta do futebol. Em entrevista ao programa “Os Donos da Bola”, ele criticou o encontro do clube com o presidente Jair Bolsonaro e a possibilidade dos treinos serem realizados em Brasília.
“O Flamengo já enterrou um massagista, tem jogadores e profissionais contaminados. E não entendo isso de jogar em Brasília, pois é uma falta de respeito aos jogadores. Tirar eles das famílias em momento de tensão e recordes de mortes. Tirar das famílias e deixar os jogadores em hotel trancados? Fora da realidade. Não sei bem o que quer o Flamengo. Será que o Campeonato Carioca será contra Gama, Brasiliense? Ou jogará somente com o Vasco ou se querem jogar sozinho. Será que estão pensando em Libertadores com países com problemas sérios? O Flamengo pode treinar onde quiser. Sair do Ninho e ir para Brasília… Tomara que não tenham de treinar no [cemitério] São Joao Batista, Caju ou Jardim da Saudade”, disse Montenegro.
“Não vejo esse frenesi em relação à volta às aulas em universidades. Esse nervosismo irresponsável eu não vejo no futebol e acho uma vergonha falar que eles querem treinar em um dia que o Brasil tem 1000, 1200 mortes. Brincam com coisa séria uma doença invisível. Querem levar uma vida normal, quando a vida não está normal. O Campeonato Alemão começou depois do pico e com todo o cuidado. Mas veja a França. As aulas recomeçaram e tiveram que parar. É difícil debater isso? Não custa nada esperar uma semana, 15 dias, um mínimo de segurança. A vida não será normal até a vacina. Que voltemos depois do pico”, completou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *