E Bolsonaro mandou o “bobão” de volta para os braços de Olavo

  1. O presidente Jair Bolsonaro demitiu ontem, pelo Twitter, o ministro da Educação, Ricardo Veléz Rodriguéz, cumprindo promessa que havia assumido na semana passada.
  2. Veléz foi indicação do “astrólogo” Olavo de Carvalho, que reside nos EUA há 8 anos e é o “guru ideológico” de Bolsonaro e dos seus três filhos.
  3. Nascido na Colômbia, esse Veléz Rodriguéz é um bobão, um idiota completo, uma figura patética, alvo de chacota no Brasil e no exterior.
  4. Nunca deu uma entrevista para falar sobre os planos do MEC simplesmente porque não os tem.
  5. Por causa disto, foi encurralado na CCJ da Câmara Federal pela deputada Tábata Amaral (PDT-SP), filha de uma diarista que conseguiu formar-se na Universidade de Harvard.
  6. Tábata, que tem apenas 25 anos, questionou o ministro sobre que planos tinha para o MEC, metas, etc. Ele não respondeu porque não entendia absolutamente nada do assunto.
  7. Semana passada, foi alvo de críticas no país inteiro por ter admitido rever o conteúdo dos livros didáticos para dizer que o “golpe militar” de 64 não foi golpe e sim um “movimento militar de força”.
  8. Quinta-feira passada, durante café da manhã com jornalistas, Bolsonaro reconheceu que faltava gestão no MEC e que as coisas com o “professor Vélez” não iam bem.
  9. Foi o primeiro sinal de que o “bobo da corte” seria exonerado, sendo que Bolsonaro fixou até data para a demissão: 8 de abril.
  10. No entanto, o “bobão” é tão idiota que foi a Campos do Jordão (SP), sexta-feira passada, fazer uma palestra e ao sair do evento disse que não pediria demissão. Não pediu e nesta segunda-feira foi mandado embora. (Inaldo Sampaio)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *