Em festa de posse, presidente do TCE diz que Paulo Câmara e Geraldo Julio são orgulho do órgão de contas

 

O conselheiro Marcos Loreto foi empossado nesta quarta-feira (10), às 10 horas, na presidência do Tribunal de Contas de Pernambuco para o biênio 2018-2019.

No seu primeiro discurso como presidente do TCE, ele disse que o órgão ‘tem um corpo técnico de elite’ que honra Pernambuco, cuja missão é promover a saúde, a segurança, a educação, emprego e renda, diminuir as desigualdades.

Nesta hora, Marcos Loreto destacou o nome dos prefeitos do Recife, Geraldo Julio, e o governador do Estado, Paulo Câmara, ambos servidores concursados da casa.

Ao lado da Chesf, no passado, era no órgão de contas que Eduardo Campos pescava quadros para compor o PSB. O próprio Marcos Loreto trabalhou no gabinete de Eduardo Campos quando governador antes de ser indicado como conselheiro no TCE.

“O Tribunal de Contas do Estado tem papel imprescindível para a boa gestão das contas públicas e para o desenvolvimento do nosso Estado. E tenho certeza que o novo presidente, Marcos Loreto, com sua experiência e seu equilíbrio, vai conduzir da melhor forma esta Corte”, afirmou o governador Paulo Câmara, no mesmo evento.

Na mesma peça de oratória, Marcos Loreto prometeu que iria ‘escoltar as obras públicas desde a publicação dos editais de licitação, ao priorizar as auditorias de acompanhamento’. Isto seria necessário para ‘não esperar a possibilidade de dano ao erário’, nas suas palavras.

Em seu discurso de posse, Marcos Loreto, que passa a assumir pela segunda vez este cargo, falou sobre o seu compromisso com a ética e a lisura no trato com as contas públicas.

“A questão pública foi o que sempre me moveu, em especial o combate às desigualdades, não como convicção particular, mas como ideal político. É imensa a contribuição que entidades como o Tribunal de Contas podem fazer no cenário que vive o Brasil atualmente“, disse Marcos Loreto.

Loreto substituirá o conselheiro Carlos Porto.

Também foram empossados o conselheiro Dirceu Rodolfo (vice-presidente), João Henrique Campos (corregedor), Ranilson Ramos (diretor da Escola de Contas), Teresa Duere (Ouvidoria), Valdecir Pascoal (presidente da 1ª Câmara) e Carlos Porto (presidente da 2ª Câmara).

A solenidade teeve início com a execução do Hino Nacional interpretado pelo cantor pernambucano Josildo Sá, acompanhado pelo acordeonista Beto Ortis. Em seguida, o presidente Carlos Porto abriu a sessão de posse, fez a sua despedida e passou a condução dos trabalhos a Marcos Loreto para seu discurso.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *