Falta de segurança e abandono na Praça da Bandeira, centro de Juazeiro; veja vídeo

Da Redação

A Praça da Bandeira, centro de Juazeiro, se encontra há mais de dez anos abandonada pelo grupo político liderado pelo ex-prefeito Isaac Carvalho (PT). De acordo informações do colaborador do AP, o para-atleta Ulberte Oliveira, foi iniciada uma reforma recentemente e os serviços foram suspensos nos primeiros dias. “Na cidade, o que se comenta foi devido a falta de pagamento à empresa contratada”, pressupõe Hulberte.

Considerado um dos principais cartões postais de Juazeiro, a praça hoje serve de abrigo para bandidos e drogados durante a noite. No último feriado junino, bandidos arrombaram o Museu Regional e levaram alguns pertences. Nas lanchonetes e bares que funcionam ao fundo do prédio, as portas também foram arrombadas dias antes. Casas de comércio próximo também serviram de alvo para bandidos.

A praça que deveria ser a vitrine da cidade, está instalada o Santuário de Nossa Senhora das Grotas, Biblioteca Municipal, residência onde nasceu João Gilberto, Museu Regional, clinicas, Receita Federal, dentre outros. Devido ao abandono, o que se vê hoje são donos de lojas com medo e sendo roubados quase que todas as semanas durante a madrugada. Na Biblioteca, alunos se arriscam quando ficam minutos na praça.

Durante a noite, alguns moradores de rua instalam barracas de campi fazendo uso de drogas e bebidas. Há poucos dias a reportagem do AP flagrou a rede de energia pegando fogo, sendo que por pouco não atingiu o prédio da Receita Federal. A falta de manutenção na rede por parte da prefeitura tem causado preocupação, inclusive aos comerciantes quando uma grande loja pegou fogo.

“Nem o serviço de poda é realizado na praça. Temos uma praça no coração da cidade totalmente abandonada. Logo ao lado tem o prédio do IPJ também abandonado parecendo mais a ‘Caverna do Dragão’. Logo ao lado, tem um terreno baldio onde foi demolido um antigo prédio histórico, pois este cenário de abandono reflete numa cidade que não tem comando”, lamentou Hulberte.

“Para quem sobrevive do comércio em Juazeiro está sendo difícil devido a falta de movimento, e por outro lado, a administração do prefeito Paulo Bomfim não ajuda. A situação é tão complicada que nem as pessoas que frequentam as missas na catedral se sentem seguras, inclusive nos finais de semana a noite com a praça tomada de desocupados,” lamentou Hulberte.

Hoje, todos os cartões postais de Juazeiro se encontram acabados. A orla se transformou numa selva devido a escuridão, sujeira e fedentina. O Balneário de Calu é outro local onde apenas alguns bares e lanchonetes ainda resistem ao tempo. As ilhas do Rodeadouro e do Fogo enfrentam o mesmo problema com a falta de segurança e opções de lazer. Hoje são poucos os lugares de lazer funcionando na cidade, sendo que a maioria das pessoas procuram ficar em suas casas.

“Não consigo entender como tem pessoas ainda que defendem o prefeito e seu grupo de forasteiros para que continuem por mais quatro anos destruindo a nossa cidade”, lamentou Hulberte.

Galeria de fotos

Na mesma praça funciona a Biblioteca Municipal

Ha poucos dias a reportagem do AP mostrou com exclusividade a rede de energia pegando fogo na frente do prédio da Receita Federal

Ao lado da praça, este prédio do IPJ continua abandonado maltratando a paisagem da cidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *