Feliciano troca farpas com Patrícia Lélis após expulsão do Podemos por assédio sexual

Deputado diz que pedido de expulsão foi baseado em “fake news” da jornalista. No entanto, Lélis rebate dizendo que partido não usou suas denúncias na decisão

Foto: Agência Câmara
Na madrugada desta quarta-feira (11), depois da expulsão do partido Podemos por acusações de corrupção e assédio sexual, o deputado Marco Feliciano passou a trocar farpas com a jornalista Patrícia Lélis no Twitter. Lélis já denunciou o pastor por estupro quando ela fazia parte da juventude do PSC e, na terça-feira (10), voltou a lembrar dos escândalos do deputado.
Patrícia Lélis SURTADA publica vídeos/tuites dizendo q há nova acusação d assédio contra mim. Mentira! Podemos/SP usou acusação falsa q ela fez p/ me expulsar. Lelis é denunciada pelo MP por tentativa de extorsão, e condenada a me pagar 150 mil por danos morais. Fugiu do país!”, escreveu o presidente da Assembleia de Deus, que acusa a jornalista de compartilhar fake news nas redes.
Lélis logo rebateu as acusações, explicando que o partido não usou suas acusações para expulsá-lo do partido. “O Podemos não usou da minha acusação, como também não tenho nenhum contato com ninguém do partido. E não fui condenada a pagar nada como também não fugir do Brasil, por ser legalmente casada com um americano, tenho o direito. Para de mentir, demônio”, escreveu.
Em outro tuíte, ela complementa que o Podemos enfatiza na acusação que o assédio aconteceu no gabinete de Feliciano, “o que mais uma vez prova que ele mente ao dizer que usaram do meu caso. Eu não trabalho no gabinete, e comigo o episódio aconteceu fora da Câmara de Federal”, continuou.
Em seguida, a jornalista publicou nas redes o vídeo de quem ela alega ser “amante” do pastor Marco Feliciano, conhecida como pastora Dani Alexandria. Lélis acusa a mulher de tentar silenciar as vítimas do deputado.

Confira:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *