Fim da rouquidão vai demorar

Opinião

Após a cirurgia para retirar uma lesão na laringe, a expectativa é a de que o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva apresente redução da rouquidão, bastante acentuada ao longo da campanha, especialmente nos debates na televisão, após duas semanas de cicatrização da região operada. Lula deve retomar as reuniões em Brasília amanhã, mas com recomendações.

Ele deverá evitar uso excessivo da voz nos próximos 15 dias, especialmente na primeira semana. Nas próximas 24 horas, a recomendação é de repouso. Mas já pode conversar, desde que não cometa excessos. O ideal também é que só volte a discursar dentro de uma semana. Segundo especialistas, nessas duas semanas de recuperação, a sensação, para o paciente, se assemelha aos sintomas de uma laringite.

A leucoplasia — que consiste no surgimento das manchas brancas — foi identificada no exame realizado no último dia 12. Durante a cirurgia, que exigiu anestesia geral, ele foi acompanhado pelas equipes médicas coordenadas por Roberto Kalil Filho, Artur Katz, Rubens Brito, Rui Imamura e Luiz Paulo Kowalski.

O deputado federal Alexandre Padilha (PT), que é médico, também acompanhou Lula no hospital. Além da orientação para que evite excessos, o presidente eleito deverá intensificar exercícios diários de fonoaudiologia.

Tamanho da lesão – Lula recebeu anestesia geral para que as cordas vocais ficassem totalmente paradas durante a operação. A lesão, de 5 milímetros e superficial, foi extraída com “Laser CO 2”. O aparelho retira o tumor com raio laser de forma precisa, preservando as estruturas ao redor. Durante a operação, os médicos fizeram uma biópsia para detectar a malignidade. O resultado saiu em poucos minutos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.