Governo vai comprar rebanhos de produtores familiares

A aquisição de rebanhos da agricultura familiar pernambucana por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) começará pelas cidades de Petrolina, Dormentes, Floresta, Ouricuri e Parnamirim, principais produtoras de caprinos e ovinos do estado. A medida atende à solicitação feita pelo senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) ao ministro do Desenvolvimento Social (MDS), Osmar Terra, para que o governo federal compre, por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) da Conab, caprinos, ovinos e bovinos criados por produtores de municípios em situação de emergência à seca.

A medida deverá começar já no próximo mês de setembro, nos moldes do “PAA do Bode”, como ficou conhecida a aquisição direta de caprinos, em 2012, pela Superintendência da Conab em Pernambuco. “Ação que teve bastante êxito, beneficiando produtores e consumidores do estado”, lembra o superintendente Elizaldo Sá. Segundo ele, a expectativa é que a Conab destine R$ 3 milhões para o programa, este ano; especialmente, para a compra de caprinos. Com estes recursos, estima-se que cerca de 800 agropecuaristas familiares poderão vender, diretamente ao governo, aproximadamente 150 toneladas de carne para o abastecimento de hospitais, creches e escolas, entre outras instituições assistidas pelo PAA.

Ainda de acordo com o superintendente da Conab em Pernambuco, serão R$ 8 mil destinados a cada produtor, o que equivalerá à venda de uma média de 38 animais (a depender do peso de cada animal). Elizaldo Sá também prevê que o “PAA do Bode” seja estendido a outros municípios pernambucanos (em situações de emergência à seca), em novas etapas do programa.

No último dia 27 de junho, o ministro Osmar Terra – em audiência com o senador Fernando Bezerra – sinalizou a possibilidade de ampliar a ação para outros estados do Nordeste. O ministro também antecipou detalhes de um projeto, em desenvolvimento pelo MDS, para a estruturação de toda a cadeira produtiva da caprinocultura na região. “O que demostra sensibilidade e atenção do ministro aos criadores e agricultores familiares nordestinos”, ressalta Bezerra Coelho.

Conforme alerta o líder do PSB e vice-líder do governo no Senado, só em Pernambuco, quase 70% das (185) cidades do estado serão novamente castigadas por mais um ano de seca prolongada. “Com esta ação, pretendemos estabilizar o mercado da cadeia produtiva de rebanhos e, ao mesmo tempo, oferecer alimento de qualidade às famílias e instituições beneficiadas pelo PAA”, destaca Fernando Bezerra Coelho.

AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS – A chamada “Linha Especial do PAA Compra Direta” para a aquisição de caprinos, ovinos e bovinos segue exemplo do apoio garantido pelo governo federal ao subsidiar milho às criações – um apelo feito pelo senador no último mês de fevereiro e prontamente atendido pelo presidente Michel Temer e o ministro Blairo Maggi (Agricultura).

O objetivo da linha especial para a compra direta dos rebanhos, por meio do Programa de Aquisição de Alimentos da Conab, é minimizar prejuízos financeiros aos criadores em virtude da morte dos animais pela escassez de água e alimento aos rebanhos como também a comercialização tempestiva dos animais em uma baixa de preços. O público-alvo desta linha especial são os agropecuaristas familiares que vivem em municípios em estado de emergência à seca e produzem até 150 cabeças de caprinos, ovinos ou bovinos.

De acordo com o superintendente Elizaldo Sá, os produtores farão a entrega dos animais aos frigoríficos contratados pela Conab. Caberá ao Governo do Estado de Pernambuco a cessão de veterinários da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária (Adagro), que serão deslocados aos abatedouros para a supervisão do processo de abate e da qualidade da carne.

Para esta primeira etapa do programa, a Superintendência da Conab estuda a possibilidade de firmar parceria com frigoríficos dos municípios de Parnamirim, Bezerros e Afogados de Ingazeira. “Unidades que atendem aos critérios técnicos e sanitários”, explica Elizaldo Sá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *