Guedes bancou

O Palácio do Planalto decidiu repensar a nomeação de Alexandre Borges após o jornal O Estado de S. Paulo revelar que o escolhido é alvo de uma apuração, conduzida pelo Tribunal de Contas da União (TCU), sobre suspeitas de irregularidades em contratações feitas pela Casa da Moeda durante sua gestão à frente da estatal, em 2018. O prejuízo é estimado em R$ 2,2 bilhões. O nome de Cabral foi indicado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, na tentativa de evitar uma indicação do Partido Liberal (PL), sigla liderada pelo ex-deputado Valdemar da Costa Neto, condenado no mensalão. Segundo fontes palacianas, o nome de Cabral não foi uma indicação política.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *