Humberto: 200 dias de Bolsonaro são regressão civilizatória

Após ter completado 200 dias de governo, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi avaliado pelo líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), como uma regressão civilizatória para o país. Segundo o senador, desde que assumiu, o presidente não apresentou nenhuma resposta aos anseios da sociedade e vem incitando uma guerra contra o seu próprio povo e instituições.

“O governo é um desastre. Representa uma regressão civilizatória sem precedente. O próprio presidente usa o seu cargo para agredir todos os segmentos da sociedade que, de alguma maneira, já são discriminados. O Nordeste tem a segunda maior população do Brasil e é vítima do seu ódio. Ele também mantém uma política permanente de ataque ao Legislativo e ao Judiciário, o que representa uma grave ameaça à democracia”, afirmou o senador.

Humberto também destacou levantamento feito pelo Datafolha, divulgado nessa segunda-feira (22), que mostra que a maioria da população não reconhece nenhuma ação positiva do governo nos primeiros seis meses de gestão. Questionados sobre o que o presidente teria feito de melhor até agora, 39% dos entrevistados responderam “nada”. Outros 19% responderam que não sabiam.

“A pesquisa Datafolha mostra que cerca de 60% não identificam nada de bom neste governo. Na verdade, o Brasil só faz piorar. Na economia, é o desemprego que cresce. A credibilidade do Brasil despenca. Nesse governo, é a corrupção que prevalece, seja nos laranjais do PSL, que não são investigados, seja na tentativa do presidente de praticar nepotismo e colocar o filho totalmente despreparado para o exercício de uma função diplomática. Além disso, a agricultura sofre com ameaça de boicote internacional por conta da liberação de 262 agrotóxicos, muito deles já proibidos em alguns países por serem totalmente nocivos à saúde”, analisa o senador.

Para Humberto, há um verdadeiro desmonte das políticas públicas do país. “Estão querendo destruir todos os avanços que tivemos, seja com essa Reforma da Previdência, que prejudica principalmente a população mais pobre, seja com essa postura cínica do presidente de dizer que no Brasil não há fome e, portanto, não há necessidade de programas dirigidos a melhorar a condição de vida da população. A gente vê um total descaso de Bolsonaro com o povo brasileiro”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *