‘Inchaço’ do União Brasil pode provocar saída de candidatos a deputado; entenda

Por Gabriel Lopes

Com o processo de fusão entre o Democratas e o PSL, resultando no nascimento do União Brasil, o foco dos dirigentes é atrair novos nomes para a legenda, que deve ser aprovada pelo TSE até fevereiro, reforçando a bancada na Câmara dos Deputados. Conforme publicado pelo Bahia Notícias, entre os nomes de maior destaque que estão próximos ao partido estão os de Mário Negromonte Jr. e Dal, ambos do PP. Além deles, Alex Santana, federal que segue em processo de expulsão do PDT, também está com diálogo aberto. Esse “contragolpe” na base de Rui, além de desfalcar um partido na disputa eleitoral, reforçaria a posição na nova sigla também em outros âmbitos da política local.

A movimentação, contudo, pode acender um sinal de alerta dentro do UB e iniciar, em paralelo, uma “campanha” de saídas. Em Salvador, o primeiro que pode deixar o Democratas e migrar para outra legenda é o vereador Cláudio Tinoco. O edil deve concretizar sua candidatura a uma cadeira na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). Uma fonte ligada ao DEM confirmou a movimentação, mas ressaltou que a definição vai ficar para o final do mês de março. A ideia é que o vereador seja acomodado em um partido aliado para continuar na base de apoio de ACM Neto, pré-candidato ao Palácio de Ondina, e Bruno Reis, atual prefeito de Salvador.

Ainda segundo interlocutores, o PDT estaria de portas abertas para receber Tinoco, em uma movimentação capitaneada pelo deputado estadual licenciado e secretário de Saúde de Salvador, Leo Prates (PDT). O titular da SMS vai deixar a pasta em dois meses para disputar uma vaga na Câmara dos Deputados.

No início desta semana, o deputado federal e presidente do PDT na Bahia, Félix Mendonça Júnior, foi direto sobre a situação do partido no estado e deve continuar marchando com o grupo político de ACM Neto. O deputado chegou a dizer que os deputados que apoiarem o nome do senador Jaques Wagner, também pré-candidato ao governo da Bahia, não vão permanecer no partido.

Essa movimentação pode endossar o que algumas lideranças partidárias apontam ao afirmar que o UB precisa ter “um olhar de solidariedade” com outras legendas que irão compor a aliança. “Hoje colocamos na relação e por necessidade da composição podemos sugerir que migre para outro”, revelou uma fonte ao BN.

Nas eleições municipais de 2020, o partido indicou o nome para a vice de Bruno Reis, que foi ocupado por Ana Paula Matos. A nível nacional, ainda existe a possibilidade de Neto apoiar a candidatura de Ciro Gomes à Presidência da República e assim dar palanque ao pedetista na Bahia.

Atualmente, o União Brasil possui seis parlamentares com mandato pela Bahia: Paulo Azi (DEM), Elmar Nascimento (DEM), Arthur Maia (DEM), Leur Lomanto (DEM), Igor Kannário (DEM) e Dayane Pimentel (PSL). Com isso, a meta do partido é eleger mais de dez deputados federais.

Para reforçar a chapa proporcional o partido segue em busca de nomes para o pleito. Entre eles, o atual vice-prefeito de Itabuna, Guinho (Cidadania), a esposa do prefeito de Barreiras Zito Barbosa (DEM), Marisete Bastos, e outros.

O OUTRO LADO DA MOEDA

A sede do União Brasil em busca de expansão pode não agradar outras legendas que estão com parlamentares cobiçados e criar um clima de tensão. Em uma dessas mobilizações, o União Brasil estaria assediando alguns vereadores do MDB, em cidades baianas, para disputa nas urnas sob o guarda-chuva da legenda. O movimento pode afetar a manutenção do apoio do partido ao grupo liderado por Neto.

Entre as procuradas estão Lúcia Rocha eleita em Vitória da Conquista e a edil de Feira de Santana Lú de Rony. Segundo interlocutores emedebistas, o diálogo com as vereadoras estaria sendo capitaneado pelo deputado federal Elmar Nascimento (DEM). A busca teria deixado a cúpula do MDB irritada.

Ao Bahia Notícias, integrantes da legenda presidida por Alex Futuca disseram que o ato teria gerado um mal estar e existiria a possiblidade da procura chegar a afetar o apoio nas eleições estaduais. O convite de Elmar incluiria a destinação de emendas e a migração para o União Brasil para a disputa eleitoral pelo novo partido. (BN)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.