Irã prende envolvidos em queda de avião ucraniano e diz que haverá punição

 

Presidente iraniano não informou, no entanto, quantas pessoas foram detidas nem os nomes delas

Presidente iraniano, Hassan Rouhani (Reprodução)

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, anunciou nesta terça-feira (14) que “alguns do envolvidos” na queda do Boeing 737, da Ukraine International Airlines, que matou 176 pessoas no dia 8 de janeiro, foram presos. Ele não informou, no entanto, quantas pessoas foram detidas nem os nomes delas.

“A responsabilidade recai sobre mais do que apenas uma pessoa”, declarou. Rouhani disse ainda que os culpados “devem ser punidos. As forças armadas iranianas admitirem seu erro são um bom primeiro passo. Devemos garantir às pessoas que isso não acontecerá novamente”.

O presidente iraniano voltou a dizer que, apesar de seu país ter derrubado o avião “acidentalmente”, o culpado pela tragédia foram os Estados Unidos.

“Foram os EUA que criaram um ambiente agitado. Foram os EUA que criaram uma situação incomum. Foram os EUA que ameaçaram e levaram nosso amado”, disse, em referência a Qassem Soleimani, comandante da Guarda Revolucionária do Irã, que foi morto após bombardeio dos EUA no Iraque na noite do dia 2 de janeiro

Entre as vítimas da queda do avião, havia 82 iranianos, 63 canadenses e 11 ucranianos. Boa parte dos passageiros faria uma conexão para um voo com destino ao Canadá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *