Justiça obriga prefeito comunista de Uauá a readmitir professora gestante

Da Redação

Um novo absurdo praticado pelo prefeito do município de Uauá, na Bahia, Lindomar Dantas (PCdoB), contra uma funcionária que sofreu perseguição e humilhação acaba de ser condenado pela justiça local. O advogado Hélder Cardoso entrou com um Mandato de Segurança, com pedido de Liminar, a favor da professora Marilene Ferreira Carvalho, contestando o abuso de poder praticado pelo gestor municipal por ter demitido a professora no nono mês de gestação, conforme exame anexado aos autos.

De acordo o processo, a professora Marilene é funcionária efetiva desde 21 de dezembro de 2000 quando exercia o cargo de diretora da Escola Municipal Santo Antônio, localizada no Povoado de Sítio do Tomás, sendo que a sua exoneração aconteceu em 2 de janeiro de 2017, dois dias depois da posse do novo gestor.

De acordo a decisão judicial, foi revogado o decreto demissional, obrigando o município a mantê-la no cargo, e ainda a pagar seus vencimentos salariais de forma integral, até o fim de sua estabilidade gestacional de seis meses.

As denuncias de abusos contra professores, funcionários e a pessoas da sociedade que não comungam tais gestos nocivos, tem deixado a população assombrada. Até alunos de escolas da zona rural estão sendo prejudicados pela insanidade administrativa que se elegeu com o discurso de ‘mudança’ mas que na pratica os atos estão sendo danosos a exemplo desta prática contra a professora Marilene Ferreira. De acordo informações, é grande a quantidade de pessoas que não dormem com medo de perderem seus empregos ou de terem seus salários cortados. Algumas famílias já mudaram para outros centros a procura de sobrevivência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *