Lá vem o sol: confira benefícios e cuidados com a mudança da estação

Luz solar estimula a serotonina

Luz solar estimula a serotoninaFoto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

É só ouvir a solar “Here Comes the Sun”, dos Beatles, que o momento ganha frescor. “Aí vem o sol e, eu digo, está tudo bem”, canta, em livre tradução, o imortal George Harrison. A previsão para a primavera, que desaflora no hemisfério sul no próximo domingo (22), é de tempo mais aberto, ensolarado, quente e com menos chuva. E com mais tempo de sol, a previsão também é de mais qualidade de vida. Segundo a neurociência do comportamento, a luz solar estimula a serotonina, que ativa o apetite, o humor, a energia e o bem-estar mental.

“A temperatura vai começar a aumentar e o tempo deve ficar mais seco, e se manter assim até o fim do ano”, aponta o meteorologista Fabiano Prestrele. Nas rodas de conversa, é de conhecimento popular que nos trópicos só existem duas estações: inverno e verão. E, segundo o especialista, há certo fundamento. “Como estamos dentro de uma latitude tropical, não é possível ter essa variação brusca das estações do ano”, esclarece o especialista.

Da infância acompanhando o pai nas pescarias em pontal de Itamaracá, a universitária Rhute Tertuliano, 23 anos, herdou o hábito de ter a praia como seu lugar de descanso. “O que mais me faz gostar é porque adoro o sol. Preciso tomar sol pelo menos uma vez ao mês. Não sei se tem a ver com energia ou é uma questão biológica, mas quando sinto os raios na pele, me sinto mais viva para encarar o trabalho e a rotina”, arrisca Rhute.

“Não consigo passar o dia inteiro sem ver o sol”, confessa a universitária, que, nos dias em que atinge o pico de estresse, encontra na caminhada na orla uma terapia alternativa. “Fico até o pôr-do-sol, quando consigo tomar esses raios, que não queimam. Pouquinho tempo já é o suficiente. O calor me ‘chacoalha’ como pessoa, que leva embora todo o estresse.” Aversa ao filtro solar, Rhute chegou a ter problemas pela exposição sem proteção, mas agora usa, mesmo a contragosto.

[PODCAST] Para saber mais dos efeitos nocivos do sol em nossa saúde e como se prevenir, Jota Batista conversou, no Espaço Saúde, com a dermatologista Vanessa Medeiros.


A dermatologista do hospital Jayme da Fonte, Raquel Beltrão, reforça a importância da fotoproteção e destaca que ela não se limita ao uso de filtro solar. “Além desses cuidados, é necessário vestuário adequado, chapéu, óculos escuros porque a radiação ultravioleta também danifica a retina e pode acelerar o processo da catarata. Procurar uma área de sombra é importante”, aponta.

Sobre o protetor solar, a recomendação é de que o produto seja, no mínimo, fator 30 e que a aplicação seja feita entre 15 e 20 minutos antes da exposição, com reaplicação programada a cada duas ou três horas. A quantidade indicada é de uma colher de chá para cada braço, no rosto, peitoral e costas, e duas colheres para cada perna. O uso previne o desgaste do tecido e o surgimento de doenças, como o câncer de pele.

Do deus ao homem

Sobre uma carruagem puxada por cavalos, Apolo, o deus do sol, surge esplendoroso com uma coroa de raios solares. Na mitologia grega, ele é uma entidade representativa da arte, mas também da medicina e da saúde. Nos Hinos Homéricos, é o deus de tudo o que está ligado à “luz da vida”. Para muito além da mitologia, o sol é responsável pela absorção da vitamina D ou hormônio D, como esclarece o nutrólogo Rafael Coelho, que assina a coluna Saúde e Bem-Estar da Folha de Pernambuco.

“No passado, não tínhamos o conhecimento de que esse hormônio é produzido pelo corpo humano e, por isso, foi denominada vitamina. Ela é ativada a partir do sol, que começa na absorção da pele e termina com a síntese no rim. Dentre os diversos benefícios, o maior é na saúde óssea. A gente come o que tem cálcio e a vitamina D facilita a absorção do mineral para o sangue que será transportado para o osso”, explica Rafael.

De acordo com a reumatologista Lilian Azevedo, essa absorção é ainda mais importante entre crianças e idosos. “Muitos problemas ósseos são causados pela deficiência da vitamina D, como o raquitismo nas crianças e a osteoporose em adultos e idosos. Ou seja, a exposição solar é extremamente importante para a calcificação óssea e deve ser um requisito básico para a saúde do corpo”, destaca a especialista. Para a melhor absorção da vitamina, a especialista indica o banho de dez minutos, três vezes na semana das 9h às 15h.

Confira as sugestões de músicas dos repórteres, editores, fotógrafos, ilustradores e diagramadores da Folha de Pernambuco, para esquentar ainda mais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *