Ladrões devolveram Pix a mulher de Marcola ao descobrir quem ela era

Do UOL – Ladrões que assaltaram uma mulher teriam devolvido o celular e dinheiro subtraído via Pix ao descobrirem que a vítima era Cynthia Gigliolli Herbas Camacho, esposa de Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, apontado pela polícia e a Justiça como líder do PCC (Primeiro Comando da Capital).

Em conversa mostrada pelo “Fantástico”, da TV Globo, Cynthia contou a Marcola em novembro de 2021 que foi assaltada na Marginal, perdendo o celular e o dinheiro, mas disse que tudo foi devolvido.

“Devolveram porque viram meu nome e que era seu nome, Cynthia Gigliolli Herbas Camacho. Mandaram entregar lá no salão. Devolveram o celular e o dinheiro do Pix”, afirmou ela, em uma conversa do casal no presídio em que Marcola está preso. A polícia vinha monitorando as conversas da dupla, e até papos de Marcola com o filho foram observados.

Em um primeiro momento, Marcola não acredita no ocorrido.

“Po***, eu não acredito. Mas você sabe que ali, exatamente na Marginal, eu sou muito conhecido”, diz ele.

Na matéria exibida pela TV Globo, ele também admite que está “lutando” para sair da cadeia. “Enquanto eu tiver vida e tiver respirando, pode ter certeza que eu vou estar lutando para sair daqui, entendeu? É que eu não posso falar um monte de coisa aqui, mas minha vida é lutar pra sair daqui”.

Anjos da Guarda

Na semana passada, a casa da família de Marcola, em Alphaville — na cidade de Barueri (SP), foi um dos alvos de uma operação deflagrada pela Polícia Federal para desarticular o plano de resgate de criminosos em penitenciárias federais de Brasília e Porto Velho.

Batizada de Anjos da Guarda, a operação da PF mobilizou 80 policiais para cumprir 11 mandados de prisão preventiva e 13 mandados de busca e apreensão em Brasília, Campo Grande e Três Lagoas (MS), São Paulo, Santos e Presidente Prudente (SP).

Além de Marcola, a facção criminosa planejava resgatar Cláudio Barbará da Silva e Valdeci Alves do Santos, o Colorido. O grupo também pretendia sequestrar autoridades para conseguir a soltura de detentos, disse a PF.

As advogadas Juliana de Araújo Alonso Mirandola e Simone Alonso foram presas em Presidente Prudente (SP). Simone é esposa de Cláudio Barbará, um dos líderes do PCC preso em Brasília.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.