Luxemburgo responde provocação de Bruno Henrique, do Flamengo: ‘Respeite a tradição do Vasco’

O técnico de Vanderlei Luxemburgo, do Vasco, durante o clássico contra o Flamengo, no Maracanã
O técnico de Vanderlei Luxemburgo, do Vasco, durante o clássico contra o Flamengo, no Maracanã Foto: MAURO PIMENTEL / AFP
Marcello Neves

O clássico entre Flamengo e Vasco foi quente dentro e fora de campo. Isso porque, além do 4 a 4 no placar, o atacante Bruno Henrique deixou o gramado reclamando que a equipe tinha que ter “a cabeça no lugar” pois os clubes não estão “no mesmo patamar”. Não tardou para o técnico Vanderlei Luxemburgo responder ao atacante rubro-negro e pediu respeito pela instituição.

– Quero dar os parabéns ao Flamengo pela forma como vem jogando, essa rivalidade existe há muitos e muitos anos. Mas alguns jogadores do Flamengo se equivocaram em dizer que o Flamengo já é campeão e os jogadores do Vasco estão brigando por nada. A história do futebol é bonita. Nunca escondi que estamos brigando por manter a dignidade. Respeite a tradição do Vasco – disse o treinador, antes de completar:

Luxemburgo também enalteceu a história do Cruzmaltino, mesmo reconhecendo o momento difícil do clube.

– Nossos jogadores tem que honrar essa história. Nós honramos a do Vasco como eles honram a do Flamengo. Esse clube está passando por dificuldade, mas quem vem lá de trás, que conhece a história desse clube. As vezes, uma declaração mal colocada causa isso. É por isso que estou no Vasco da Gama, estou satisfeito por honrar e brigar pela camisa do Vasco.

Sobre o empate, Luxemburgo se disse satisfeito com a atuação da equipe e brincou com a expectativa por um Vasco defensivo no Maracanã. O treinador explicou que a sua estratégia de explorar os zagueiros do Flamengo, o campeão brasileiro para ele, deu certo.

– O Vasco não ficou com medo do Flamengo, que é o provável campeão. Já é campeão. Quem imaginou que ficaríamos defensivos, estava enganado. Foi uma estratégia que criei com as duas linhas de quatro. Nós exploramos a velocidade no campo deles para deixar os zagueiros expostos.

Confira outras respostas de Luxemburgo:

Empate contra o Flamengo: “Não é proibido ganhar ou empatar com o Flamengo. Se estou no Vasco, acredito que vou fazer um grande jogo. A tradição mostra que favoritos podem sair com a derrota. A equipe está evoluindo, os jogadores se conhecem mais. Sete gols em dois jogos é bom”

Entrada de Ribamar: “Os jogadores ficam questionados. Cada coisa um é culpado. Se eu fosse me preocupar com as críticas eu não teria time. O Ribamar é um guerreiro, disputa todas as bolas. Era um jogo com bola na área, a qualidade técnica foi ficando esquecida”

Estratégia do Vasco: “Precisava de um jogador como ele para disputar a jogada. Ele jogou os zagueiros do Flamengo para trás. Conseguimos adiantar a equipe”

Provocação em avião: “Estamos dentro de um avião e um torcedor vem provocar para você ter uma reação, criar tumulto. É um babaca. Ali não tem jogo de futebol. Ele provoca para esperar uma reação minha. Só serve para nada. Não é ambiente”

Soberba do Flamengo: “Não (houve soberba do outro lado). Antes do jogo não vi absolutamente nada. Depois do jogo, surgiram algumas palavras mal colocadas. Tem de rebater, porque de repente esses jogadores mais jovens não conhecem a tradição de um clube como o Vasco”

Jorge Jesus: “Esse é um momento muito tenso no Brasil. O Jesus é um grande técnico, mas não podemos esquecer que no Palmeiras teve um argentino que fez grande trabalho. Tem outros estrangeiros que já vieram fazer grandes trabalhos”

Trabalho em crescente: “Estamos num trabalho crescente. Aqueles jogadores do Flamengo parece que têm uma formiguinha dentro do calção. Eles mudam de lado e de direção a todo momento. Em uma oportunidade, eles matam. Estratégia é uma coisa, medo é outra” 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *