Magrão entra na Justiça contra o Sport e pede quebra de contrato

Goleiro de 42 anos tem vínculo com o clube rubro-negro até dezembro

Magrão não aparece no clube desde a última sexta-feira, dia da reapresentação do elenco / Foto: JC Imagem

Magrão não aparece no clube desde a última sexta-feira, dia da reapresentação do elenco
Foto: JC Imagem
Filipe Farias

As primeiras informações do sumiço de Magrão começam a surgir. Na manhã desta terça-feira (25), a reportagem do Jornal do Commercio obteve a informação de que o goleiro de 42 anos ingressou na Justiça do Trabalho contra o Sport Club do Recife. O processo ocorre na 10ª Vara do Trabalho do Recife, mas está sob segredo de justiça.

Apesar de não ter acesso a inicial do processo (mostrando o que o autor da ação está pedindo), o JC conseguiu apurar que Magrão está querendo a antecipação de tutela e rompimento unilateral de contrato. Ou seja, que o seu vínculo com o Sport seja rompido, mas que ele receba os vencimentos até o final do contrato, até dezembro, já que o clube rubro-negro deve ao jogador mais de cinco meses – de gestões anteriores -, algo em torno de R$ 1 milhão.

Intimação ainda não chegou

A diretoria do Sport ainda não foi intimada da ação movida por Magrão. Mas, segundo apuração do Jornal do Commercio, a audiência inicial (para saber se existe algum tipo de acordo entre as partes) está marcada para o mês de setembro.

Lembrando que a direção leonina chegou a fazer um acordo com o goleiro para a repactuação dos atrasados. Mesmo com o término do contrato, em dezembro, ele ficaria recebendo vencimentos do Sport até que a dívida fosse totalmente quitada – previsão é que seria no final de 2020.

Embedded video

Embedded video

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *