Ministério diz ao STF que gestão de Salles não pode ser culpada por desmatamento

Ministério do Meio Ambiente afirmou em nota técnica que o aumento do desmatamento não pode ser colocado na conta da gestão atual

Redação
Foto: Max Haack / Secom PMS
Foto: Max Haack / Secom PMS

 

O Ministério do Meio Ambiente afirmou em nota técnica que o aumento do desmatamento não pode ser colocado na conta da gestão atual da pasta, conduzida por Ricardo Salles. a informação é da coluna de Guilherme Amado, da revista Época.

“É importante esclarecer que, quanto ao aumento do desmatamento, isso jamais pode ser imputado à atuação da atual gestão do Ministério do Meio Ambiente”, afirma nota técnica da pasta, elaborada a pedido da Advocacia Geral da União (AGU).

O documento foi enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF) em resposta a um processo em que o PT culpa o governo federal por omissão pelas queimadas na Amazônia a no Pantanal.

O ministério admite ter havido uma diminuição de 50% do pessoal do Ibama nos últimos anos, mas diz que os trabalhos do órgão têm se mantido em níveis “razoáveis” e dentro da média de anos anteriores. Admite também que o percentual de recursos empenhados em 2019 foi menor.

“Os valores empenhados por este Ministério sempre estão muito próximos ao limite autorizado para empenho e que no ano de 2019 houve uma situação atípica, que levou a um percentual menor, mas ainda assim, bastante positivo, no montante de 88%”, diz a nota.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *