Moro protegeu Cunha, denuncia PT

O PT quer saber por que o então juiz Sérgio Moro protegeu o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (MDB-RJ), ao não apreender seus aparelhos celulares no momento de sua prisão.

“Qual o interesse de Sérgio Moro em proteger Eduardo Cunha?”, questionou o líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta (RS).

Reportagem do site BuzzFeed News, novo parceiro do Intercept, revelou nesta segunda-feira (12) que Moro “duelou” com o procurador Deltan Dallagnol visando demovê-lo da ideia de apreender os celulares do emedebista.

Deltan – Queríamos falar sobre a apreensão dos celulares. Consideramos importante, teríamos que pedir hoje.

Moro – Não acho que é uma boa.

Os diálogos entre Moro e Deltan ocorreram no dia 16 de outubro de 2016, um dia antes da prisão de Cunha.

O BuzzFeed registra que a decisão de não apreender os celulares de Cunha, que já não tinha mais foro privilegiado desde setembro de 2016, destoa do padrão da Lava Jato.

“Saíram dos celulares de executivos de empreiteiras, por exemplo, muitas anotações e mensagens que embasaram investigações.”

Moro e Deltan não se pronunciaram sobre a nova #VazaJato ou sobre a acusação do PT, de que Cunha foi protegido pela Lava Jato.

A presidenta nacional do PT, Gleisi Hoffmann (PR), fez questão de comparar o tratamento VIP que Cunha recebeu do juiz.

“Para Eduardo Cunha, Moro liberou telefones e inocentou sua mulher. Com Lula apreendeu até tablet do neto e bloqueou bens de Dona Marisa. Mais uma vez está ficando claro como o ex-juiz agiu com pesos e medidas diferentes no comando da Lava Jato”, diferencia a dirigente petista.

O jornalista norte-americano Glenn Greenwald, fundador do Intercept, ainda recordou que Moro instruiu seus subalternos na Lava Jato a não aceitar uma delação premiada de Cunha. “… mostramos que as mensagens mostram que ele [Moro] mandou Deltan [a] não pedir a apreensão dos celulares usados por Cunha.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *