Namorado suspeito de assassinar administradora em apartamento no Recife é preso no aeroporto de Natal

O namorado da administradora Renata Alves Costa, de 35 anos, suspeito do assassinato dela, foi preso, hoje, em Natal, no Rio Grande do Norte. De acordo com a Polícia Civil, o homem, identificado por parentes da vítima como João Raimundo Vieira da Silva de Araújo, foi capturado no aeroporto da cidade. As informações são do G1/PE.

O crime aconteceu no sábado, dentro de um apartamento em Campo Grande, na Zona Norte do Recife. O corpo dela foi encontrado na tarde de domingo, com um tiro na testa. Desde então, a polícia passou informar que o namorado da vítima era o principal suspeito do crime.

Por nota, a polícia informou que a prisão de João Raimundo foi efetuada durante uma operação conjunta das Polícias Civil de Pernambuco e Federal. Não foi divulgado para qual cidade João Raimundo estava indo. A PF confirmou a captura na ação no outro estado.

“O monitoramento do homem estava sendo realizado pela 2ª Delegacia de Homicídios, em cumprimento ao mandado de prisão”, disse a polícia, no comunicado da Polícia Civil.

O homem já tinha sido preso anteriormente por agredir a ex-esposa e balear dois funcionários de um hotel em Boa Viagem, na Zona Sul, em 2019, segundo parentes de Renata. O namorado da vítima, segundo informações da Justiça pernambucana, cumpria prisão domiciliar.

João Raimundo, que foi filmado no elevador com a vítima antes do crime, usava tornozeleira eletrônica por causa desse crime, mas rompeu o equipamento no sábado (6), dia em que a polícia acredita ter ocorrido o crime.

A informação sobre a tornozeleira eletrônica foi confirmada pela Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres). A Polícia Civil foi questionada diversas vezes sobre o nome do namorado de Renata, apontado pelos investigadores como suspeito de matá-la, mas não respondeu.

João Raimundo ficou preso entre dezembro de 2019, quando se entregou à polícia, e 30 de abril de 2020, quando a detenção foi transformada em prisão domiciliar. O crime contra a ex-esposa, em 2019, aconteceu no Mar Hotel. Segundo a investigação da época, a arma que ele estava era da mãe, que teria somente posse do armamento e não poderia se deslocar com a pistola.

João Raimundo era concursado do Tribunal de Justiça daquele estado. Psicólogo, ele atuava no Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher da cidade de Guarabira. Foi demitido em abril deste ano, mas recebia salário mensalmente até esse mês, segundo informações do Portal da Transparência do Tribunal de Justiça da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.