No ciclo de entrevistas ao Ação Popular, Rosalvo apresenta propostas e tece críticas

Rosalvo Antonio
Rosalvo Antonio

Grazzielli Brito – Ação Popular

Abrindo a série de entrevistas com os candidatos a prefeito na cidade de Petrolina-PE, o Ação Popular recebe Rosalvo Antonio do PSOL para falar da sua terceira participação como candidato a prefeito de Petrolina e seus projetos para a cidade. Em um discurso condizente com seu partido, defende as bandeiras do socialismo e da liberdade. O PSOL tem para Eleição 2012 vinte e sete candidatos a vereador. Formado em Historia pela Universidade Federal de Pernambuco, trabalha atualmente como técnico em saneamento no Centro Especializado em Saúde do Trabalhador, centro conquistado através de luta sindical da qual vez parte.

Ação Popular – Petrolina é uma cidade de muitos projetos e de economia aquecida. O desenvolvimento da cidade traz benefícios a toda região. O senhor concorda?

Esse modelo de desenvolvimento é questionável. Defendo uma Petrolina ecosocialista, humana e democrática. Esse desenvolvimento tem consequências graves para a população exemplo disso é o veneno dispensado no ar, na agricultura, nas aguas. Isso faz com que as pessoas estejam adoecidas por esse sistema de desenvolvimento capitalista, com agronegócio voltado para a exportação. Em meu programa de governo defendo a utilização da agroecologia e a implementação de ações para a agricultura orgânica e a agroflorestal. Não se pode pensar desenvolvimento para aumentar o capital sem pensar nas pessoas. Nesse programa temos como fundamento o direito humano, a cidadania.

Ação Popular – Fale mais sobre o seu programa de governo.

Nele existe respeito, sobretudo ao ser humano, respeitando seus direitos civis, políticos e sociais. Defendo uma gestão que atue de forma descentralizada de forma a dar autonomia aos órgãos municipais com ampla participação popular, isso seria possível com a criação de subprefeituras. Além disso, devem existir nessa gestão canais institucionais de participação popular onde as pessoas possam indicar as prioridades. A construção de qualquer projeto deve ser fundamentada na necessidade do povo. Nãos se pode falar em construção de ponte como ouvi outro candidato propor, enquanto grande parte da população não tem água tratada nos bairros, na zona rural a água é envenenada, poluída. É muito mais importante cuidar do saneamento básico, saúde, educação, valorização do servidor. É nisso que está fundamentado meu programa de governo. Tudo isso respeitando a questão ambiental e com transparência na condução dos recursos financeiros

Ação Popular – Um dos problemas graves que Petrolina enfrenta é em relação ao serviço de água oferecido pela Companhia Pernambucana de Saneamento (COMPESA). De posse do mandato o que faria para resolver essa situação?

Vamos fazer um plebiscito e a população quem vai dizer se quer a COMPESA administrada pelo município. Se a resposta do povo for positiva, vamos acionar os meios jurídicos e políticos para retomar a COMPESA, que da forma que está agora é uma empresa superavitária que tem lucro e muitas vezes esse lucro não fica em Petrolina, não há gerencia com transparência sobre esses recursos a partir disso e em consequência o grande problema na distribuição de água. Com relação a água é preciso lembrar também desse processo histórico e retrógado de distribuição de água por carros-pipas. É absurdo em pleno século XXI esse tipo de ação ainda ser necessário. Falta ação, uma decisão politica que resolva o problema de uma vez por todas.

Ação Popular – Ainda em relação à COMPESA, o governo do Estado diz que está investindo 120 milhões para resolver a questão do abastecimento, promessa essa que se arrasta desde o primeiro ano de governo. Agora na campanha política volta à tona essa propaganda. O senhor acha que esse projeto será executado?

Você definiu muito bem, isso é propaganda. É o que o governo mais faz: propaganda. Gostaria muito que o governo apresentasse quanto é que ta gastando de propaganda e ao mesmo tempo fizesse um demonstrativo das ações reais que está realizando em Petrolina.

Ação Popular – Petrolina é a cidade que mais cresce no estado de PE e hoje tem aproximadamente 200 bairros. Com relação à questão fundiária, qual o seu projeto?

A regularização fundiária é ponto fundamental de uma administração que quer desenvolver a cidade de modo sustentável. Meu projeto é de juntar o poder municipal a outras instancias, uma vez que só o município não tem essa capacidade devido ao alto custo. Vamos tratar dessa questão com seriedade. Sabemos de bairros como o José e Maria, por exemplo, com mais de 30.000 habitantes e as pessoas não são proprietárias do terreno. Já estamos correndo atrás disso mesmo sem mandato, levamos a questão de Petrolina para o Ministério das Cidades. Tenho o projeto de implantar uma politica municipal de habitação para famílias de baixa renda. Sou conselheiro estadual das cidades e junto ao conselho em Recife já tenho trabalhado em buscar recursos para a nossa cidade.

Ação Popular – A questão social também é preocupante, nesse aspecto o que tem a dizer?

Infelizmente esse modelo de gestão e desenvolvimento é um modelo excludente. Tanto o municipal, como o estadual e federal. Não leva em conta o ser humano. Vamos desenvolver ações para contrapor esse sistema. Isso é possível. Vou te dar um exemplo claro. A maneira como o turismo é abordado na cidade, isso sem incluir o sistema de transporte coletivo oferecido que é de péssima qualidade. É preciso incentivar o turismo ambiental e com isso estaremos afetando diretamente o social. Hoje o que se vê é o turismo sexual, ele é incentivado

pelo tipo de turismo que é aplicado na cidade. É grande o índice de prostituição e drogas. Assim como é grande a quantidade de motéis, não que esteja me opondo aos motéis, mas não podemos ter uma economia dependente desse tipo de atividade. Devemos incentivar o turismo ambiental e ecológico. Outro ponto que considero importante é a escola de tempo integral, é preciso ocupar esses jovens com educação, esporte, cultura.

Ação Popular – Analise a situação da saúde em Petrolina.

A situação da saúde é caótica. E pra piorar ela vem sendo privatizada ao longo dos anos, pelo menos nas ultimas quatro gestões. Foi entregue a uma fundação privada que tem nome estatal, mas não é. Pretendo priorizar a efetivação do SUS. A procura pela saúde na iniciativa privada deve ser somente a complementariedade conforme preconiza a constituição federal. Os planos de saúde não vão querer uma população saudável porque eles têm lucro com a doença. Por isso entendo que saúde deve ser prioritariamente responsabilidade do poder público.

Ação Popular – Sobre a educação?

Precisamos desenvolver uma educação onde as pessoas tenham consciência crítica, que sejam construtores de sua própria história onde as pessoas possam se conhecer e ao outro como portadores de direitos e deveres. Um dos problemas da educação é a grande quantidade de contratados. A educação está praticamente terceirizada

Ação Popular – Essa é a terceira vez que concorre à prefeitura de Petrolina, como tem sido a campanha?

Tem sido muito boa. Agradeço às pessoas pela manifestação espontânea. É uma campanha sem recursos financeiros e as pessoas estão correspondendo. A cada espaço que visito percebo o povo clamando por mudança. Hoje Petrolina tem apenas dois projetos políticos o deles que é um projeto capitalista e o nosso que vai na direção do socialismo, da democracia e da liberdade. Estou bastante otimista não tenho coligação partidária, mas tenho apoio político importante do PSTU e do PCB, como eles não têm diretório municipal aqui a coligação não foi possível. São políticos sérios como José Maria do PSTU, que foi candidato a presidente de quem recebi nota de apoio e o senador Randolfe Rodrigues (PSOL) que foi responsável por desbaratar essa onda de corrupção do Cachoeira. Esse apoio é pautado na ética, nos direitos humanos e na democracia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *