Ocupação de cargos estratégicos pode explicar dificuldade para petistas abandonarem governo municipal

O desembarque de petistas do governo Geraldo Júlio, no Recife, não é tão simples qunato parece. Quem explica são observadores da cena do Recife na máquina pública.

“A situação é complicada. Geraldo nomeou para a controladoria do município o ex-secretário de Finanças do governo petista de João da Costa, Petrônio Magalhães, que também foi homem de confiança do governo João Paulo, onde era assessor do ex-secretário de finanças Elísio Soares. O caso de Petrônio Magalhães é complicado pois ele ocupa cargo em órgão estratégico, a controladoria do município.

O ex-secretário de Finanças e petista de carteirinha Eduardo Vital não ocupa cargo no governo Geraldo Júlio.  Vital faz parte de importante grupo de trabalho, responsável por desenvolver ações na região metropolitana. Será que a ruptura com o PT vai chegar até esses ex-secretários?”. (Jamildo Melo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *