Opinião 

Com o anúncio formal, ontem, do deputado federal Sebastião Oliveira, líder do Avante na Câmara dos Deputados, como seu vice, a pré-candidata do Solidariedade ao Governo de Pernambuco, Marília Arraes, é uma rara exceção no xadrez da sucessão estadual.

Exceção por ter sido a única dos pré-candidatos a governador mais competitivos a fechar a sua chapa, faltando ainda mais de 50 dias para as convenções. Danilo Cabral, do PSB, só escolheu Teresa Leitão para o Senado. A vaga de vice virou um tremendo abacaxi. Foi oferecida aos deputados federais Silvio Costa Filho, do Republicanos, e Wolney Queiroz, do PDT, que recusaram, preferindo à reeleição.

Já Miguel Coelho não anunciou um só nome, nem para vice nem tampouco para o Senado. Sinalizou apenas que a vaga de vice será ocupada por uma mulher. Fala-se na deputada estadual Alessandra Vieira, esposa do ex-prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Edson Vieira. Quanto ao Senado, nem especulação.

Anderson Ferreira, por sua vez, tem na chapa apenas o ex-ministro Gilson Machado como candidato ao Senado. Como Miguel, disse que reservou a vaga de vice para uma mulher, mas até o momento o processo não andou. “Marília não está à frente apenas nas pesquisas, mas na dianteira na chapa”, brinca Sebá, como é mais conhecido o parlamentar escolhido vice da pré-candidata do Solidariedade.

Por: Magno Martins