Os dias seguintes: o que fazer com Bolsonaro

No Congresso, já houve até reuniões de parlamentares importantes sobre “o que fazer com Bolsonaro”. No momento, nada: nem petistas nem olavetes querem tirá-lo, já que não toleram o vice Mourão. Não há clima para golpe, nem quem tenha força para desfechá-lo.

E, bem ou mal, com anarquia e tudo, as reformas vão andando – lentamente, com modificações, mas vão andando. Se passa uma boa reforma da Previdência (dessas que permitam ao país fazer economia de uns R$ 100 bilhões por ano), haverá melhora geral no ambiente econômico, com o provável aumento dos investimentos externos.

Tradução: mais empregos e aceleração do ritmo da economia. Isso eleva a popularidade de qualquer presidente. Se a economia anda, o Governo é bom. Ponto final. (Carlos Brickmann)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *