PCdoB lança pré-candidato em Uauá em tom de campanha

João Bosco Gonçalves

Da Redação

Preocupado com o futuro político administrativo no município de Uauá, norte baiano, o Partido Comunista do Brasil – PCdoB decidiu lançar como pré-candidato a prefeito o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, João Bosco Gonçalves da Silva. “O partido tem história de lutas no município e administra hoje o maior sindicato que vem fazendo na maioria das vezes o papel que deveria ser da administração municipal em dar atenção ao homem da sede e do campo. O partido está fazendo parte de uma frente de oposição que conta com 12 legendas, dentre eles esperamos sair na frente nas pesquisas para que possamos carimbar o passaporte para a disputa em 2012”, almeja Bosco.

O sindicalista demonstrou a sua insatisfação relacionada a alguns fatos que vem acontecendo no município. “Uauá está um verdadeiro caos, principalmente na área rural, onde as estradas vicinais estão abandonadas, os agricultores estão sem água para o consumo humano, os barreiros secos, barragens sujas – e outras que se encontram limpas são as de cabos eleitorais do prefeito, parentes ou agregados da administração municipal. Hoje temos uma administração desastrada, sem pudor onde o prefeito tem vários processos e pode , a qualquer momento, ser cassado devido as picaretagens praticadas ao longo dos sete anos em que está a frente da prefeitura”.

“O nosso objetivo é buscar condições para executar projetos que beneficiem o homem do campo e da cidade. Em época de estiagem o sofrimento sempre é o mesmo e o povo não pode continuar refém desses picaretas que ao longo de dezenas de anos sempre se beneficiaram com essa indústria da miséria chamada seca. Hoje a situação do abastecimento na sede melhorou por causa do Governo Estadual, mas na zona rural a carência é geral”, lamenta.

Na ocasião, João Bosco classificou ainda a administração de pervertida por a família fazer parte dos desmandos escancarados do município. “O prefeito não está nem aí com o que fez ou deixou de fazer ao longo dos sete anos, o seu negócio é atolar a prefeitura de parentes e irmãos. Para ele não importa se tem – ou se está havendo irregularidade ou corrupção. Todos no município sabem que ele está aloprado do juízo para aprovar as suas contas na Câmara, mas para isso ele tem que usar determinadas regras da política suja, a de enganar as pessoas dizendo que determinada pessoa é o seu candidato, que por sinal está usando a máquina para fazer campanha neste melancólico final de governo”.

“Os dias para essa turma do ôba-ôba estão chegando ao fim. O desespero é tanto que a qualquer momento a justiça pode afastar o enrolado do prefeito do cargo. Eles estão tão atrapalhados do juízo que estão conversando coisa com coisa em ponta de esquina. O mais interessante é o jeito do demente do pré-candidato enganado, João Alves que vai perder a ‘babinha’ (ajuda) da prefeitura. Esse rapaz, e sua turma não sabem trabalhar sem o aparelhamento do município”, disparou o advogado Pedro Peixinho.

Com relação à educação e a saúde, o sindicalista faz o perfil. “As escolas do município estão todas sucateadas, sem merenda, alunos estudando sentados no chão devido à falta de carteiras e cadeira, sanitários podres em algumas unidades onde o aluno é obrigado a fazer suas necessidades no meio do mato. No caso da saúde a irresponsabilidade é geral: ambulâncias sendo depenadas na garagem; hospital faltando medicamentos, profissionais, pano de cama e outras coisas, dentre outros”, concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.