PDT quer processar Flávio e Eduardo Bolsonaro por tiro contra Cid Gomes

A principal hipótese cogitada pelo partido é a de citar os irmãos por incitar os policiais do Ceará a um comportamento que descumpre a Constituição, já que as PMs estão proibidas de fazer greve

Cid e Ciro Gomes (Arquivo)

O PDT (Partido Democrático Trabalhista) está estudando a possibilidade de ir à Justiça para questionar as declarações do deputado Eduardo Bolsonaro e do senador Flávio Bolsonaro, a respeito do ataque a tiros sofrido pelo senador Cid Gomes, no dia 19 de fevereiro, em Sobral.

Na ocasião, os filhos do ex-presidente justificaram a ação dos policiais amotinados, e Flávio, colega de Cid, no Senado, chegou a dizer que os tiros foram dados em “legítima defesa”.

Já Eduardo acusou o senador pedetista de “tentativa de homicídio, com dolo eventual”. As declarações foram respondidas pelo irmão de Cid, Ciro Gomes, quem mandou um recado ao filho do presidente: “será necessário que nos matem mesmo antes de permitirmos que milícias controlem o Estado do Ceará como os canalhas de sua família fizeram com o Rio de Janeiro”.

A principal hipótese cogitada pelo PDT é a de citar os irmãos por incitar os policiais do Ceará a um comportamento que descumpre a Constituição, já que as PMs estão proibidas de fazer greve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *