Pesquisa da CNT confirma tendência de crescimento de Eduardo Campos

Andrea Pinheiro

A pesquisa divulgada hoje pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) confirma a tendência já constatada por outros institutos de crescimento das intenções de voto do governador Eduardo Campos (PSB) na corrida pela Presidência da República, desde que conquistou o apoio da ex-ministra Marina Silva, idealizadora da Rede Sustentabilidade, em outubro. Na última rodada, na pesquisa estimulada, o socialista obteve 9,5% das intenções de voto. Em setembro, ele tinha 5,2%.

Apesar dos avanços socialistas, a presidente Dilma Rousseff venceria a eleição em todos os cenários. Ela detém 43,5% das intenções de voto. O senador Aécio Neves (PSDB-MG) aparece em segundo lugar com 19,3%. A presidente venceria, inclusive, nas simulações de segundo turno. No primeiro cenário, contra o senador mineiro, ela teria 46,6% e ele, 24,2%. Já contra Eduardo Campos, Dilma teria 49,2% e ele, 17,3%.

Chama a atenção o universo de 36,5% dos eleitores que não votariam na presidente de jeito nenhum. O que poderia representar uma margem de atuação para os demais concorrentes. Eduardo Campos, por exemplo, ainda não é conhecido por 28,5% dos eleitores, um percentual superior em relação aos adversários. 

A CNT também analisou, na pesquisa estimulada, um cenário com a presença da ex-senadora Marina Silva como candidata do PSB à Presidência da República no lugar de Eduardo Campos. Neste caso, Dilma Rousseff teria 40,6% das intenções de voto, Marina, 22,6% e Aécio Neves, 16,5%.

No levantamento espontâneo, Dilma Rousseff teria 18,9% das intenções de voto. Em seguida, aparecem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (7,5%), Aécio Neves (6,7%), Marina Silva (5,6%) e Eduardo Campos (2,2%). Na pesquisa espontânea, não são apresentadas opções de possíveis candidatos.

Para a pesquisa, foram entrevistadas 2.005 pessoas, em 135 municípios de 21 unidades da federação, entre os dias 31 de outubro e 4 de novembro. A margem de erro é 2,2 pontos percentuais.

Fonte: Diário De Pernambuco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *