PM foi agredido primeiro, diz Roger Moreira sobre ação que matou 9 jovens em Paraisópolis

Segundo o músico, os PMs foram atacados antes da confusão começar, mas a Globo “omitiu” parte do vídeo que mostra a agressão

Foto: Reprodução/YouTube

Em sua conta no Twitter, o músico Roger Moreira, líder da banda “Ultraje a Rigor”, publicou um vídeo neste domingo (1) para defender os policiais militares que participaram da operação no baile funk de Paraisópolis, Zona Sul de São Paulo. Segundo ele, os PMs teriam sido atacados antes da confusão começar, mas a Globo “omitiu” parte de um vídeo que mostra a agressão.

Também no domingo, Roger Moreira compartilhou uma notícia do UOL celebrando que o general Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) do governo de Jair Bolsonaro, tenha defendido o uso de atiradores de elite contra “criminosos”.

“Arre! Demorou! Estratégia usada há séculos nos EUA. Qualquer coisa contra criminosos é bem vinda. Não aprenderam ainda, defensores de bandidos?”, escreveu o músico.

Ao menos nove pessoas morreram e duas ficaram feridas na Operação Pancadão realizada pela Policia Militar de João Doria. No local do baile funk, estavam cerca de cinco mil pessoas, quando policiais entraram atirando e lançando spray de gás de pimenta.

A versão de jovens que estavam no local é que a PM chegou atirando no público do baile, além de atacarem com spray de pimenta e bombas. “Chegaram atirando em todo mundo. A gente estava no baile e primeiro veio a bomba. Começaram a cair as pessoas, passando mal, e a desmaiar, sendo pisoteadas. Ficamos encurralados”, disse um jovem que estava no local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *