“Pode enfiar sua rede no c*”: Olavo de Carvalho decide deixar o Twitter e internautas comemoram

Assim como Trump e Bolsonaro, o astrólogo foi punido pela rede social por disseminar fake news sobre a pandemia do coronavírus

Por Ivan Longo
email sharing button

O astrólogo Olavo de Carvalho, guru do governo de Jair Bolsonaro, resolveu nesta terça-feira (19) abandonar o Twitter. A decisão se deu depois que, na terça-feira (18), a rede social apagou publicações do escritor em que minimizava a Covid-19 e negava a crise de Saúde em Manaus (AM).

Além de deletar as publicações, o plataforma limitou a conta de Olavo, silenciando suas novas publicações.

“Estou caindo fora do Tuíts. Aquilo é a Cracolândia da internet. Pode enfiar a sua rede no cu, Mr. Dorsey. Estou aqui, no Telegram e no Gab. Quando o Parler reabrir, estarei lá também”, anunciou o guru através do Facebook.

A conta de Olavo no Twitter segue ativa, mas sem nenhuma nova publicação desde terça-feira (18). Internautas comemoraram a saída do astrólogo da rede social.

Bolsonaro e Trump

O Twitter classificou, na última sexta-feira (15), um link postado pelo presidente Jair Bolsonaro como “potencialmente spam ou inseguro”.

Na postagem em questão, feita também nesta quinta-feira, Bolsonaro divulga um vídeo do jornalista Alexandre Garcia defendendo o “tratamento precoce” contra a Covid-19 e deixa o link de um suposto estudo que endossaria sua tese que não encontra respaldo científico. Desde o início da pandemia, o presidente defende que as pessoas, pro precaução ou no início dos sintomas de Covid-19, usem substâncias como a cloroquina, o que vai contra as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Ao clicar no link, entretanto, o internauta se depara com um aviso do Twitter: “Atenção, este link pode ser inseguro”.

Coincidência ou não, o Twitter ligou o alerta contra a publicação de Jair Bolsonaro exatamente uma semana após decidir banir permanentemente o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, por incitar protestos violentos e divulgar fake news.

Ministério da Saúde

No sábado (16), foi a vez do Ministério da Saúde ter uma publicação no Twitter marcada como tendo “informações enganosas e potencialmente prejudiciais relacionadas à Covid-19”.

A postagem, da última terça-feira (12), orientava a população a procurar uma unidade de saúde para fazer tratamento precoce da Covid-19. No entanto, não há comprovação científica sobre a eficácia desse tipo de intervenção.

O texto da publicação dizia: “Para combater a Covid-19, a orientação é não esperar. Quanto mais cedo começar o tratamento, maiores as chances de recuperação. Então, fique atento! Ao apresentar sintomas da Covid-19, não espere. Procure uma unidade de saúde e solicite o tratamento precoce”.

Quem percorre o perfil do ministério encontra o selo do Twitter sobre a publicação. Ele diz que a postagem violou as regras da rede sobre a “publicação de informações enganosas e potencialmente prejudiciais relacionadas à Covid-19”. Mas a publicação não foi excluída. Clicando em cima dela, é possível vê-la. No alerta, o Twitter diz que “determinou que pode ser do interesse público que esse Tweet continue acessível”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *