Prefeito de Juazeiro diz que grupo para driblar fechamento do comércio é ‘inadmissível’ e repudia: ‘Pressão não funciona. Não posso ser irresponsável’

[Prefeito de Juazeiro diz que grupo para driblar fechamento do comércio é 'inadmissível' e repudia: 'Pressão não funciona. Não posso ser irresponsável']
Por: Léo Sousa  

O prefeito de Juazeiro, no norte da Bahia, Paulo Bomfim (PT), repudiou nesta terça-feira (30) a atitude de comerciantes locais que combinavam estratégias para driblar o decreto municipal que estabelece o fechamento do comércio na cidade em um grupo de WhatsApp. O caso foi revelado por uma reportagem do site de notícias da região Preto no Branco publicada na segunda-feira (29).

Em uma das mensagens publicadas no grupo de WhatsApp intitulado “abertura do comércio”, com 238 integrantes – a maioria deles empresários locais e pessoas ligadas ao setor no município -, o administrador, um representante do setor industrial, orienta que os comerciantes abram as lojas e coloquem os funcionários na porta com cartazes. “Quando a fiscalização chegar, a loja vai esta (sic) aberta sem ninguém dentro, e não pode fazer nada”, sugere.

As mensagens mostram também que os membros do grupo articulavam estratégias para coagir veículos de imprensa que não apoiassem a reabertura do comércio na cidade e o consequente relaxamento do isolamento social.

“Vamos também cancelar ou não renovar nenhum contrato com rádio, TV, jornal, blogs que não foram sensíveis com a salvação das empresas e empregos. Se não puder cancelar de imediato, ligue renunciando a renovação. Eu já fiz”, escreveu um empresário no grupo.

“A gente tem que repudiar. Pense em um negócio chato. Você vivendo em um momento de pandemia desse. A briga contra esse vírus é de todos nós. Não é só do comércio ou só da prefeitura não […] Somos nós, todos nós, contra esse vírus. As pessoas precisam se conscientizar”, criticou o prefeito Paulo Bomfim, em entrevista ao BNews.

O gestor classificou ainda a atitude do grupo de comerciantes como “inadmissível” e afirmou que a pressão pela reabertura do comércio sem que a curva do número de casos do novo coronavírus na cidade baixe “não funciona”. “Não posso ser irresponsável”, pontuou.

Casos na cidade

De acordo com o último boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), divulgado no fim da tarde desta segunda-feira (29), Juazeiro tem 590 casos confirmados de Covid-19, dos quais 261 são ativos.

Até ontem, segundo a Sesab, 19 pessoas morreram em decorrência do novo coronavírus na cidade. O crescimento médio do número de pacientes infectados no município nos cinco dias anteriores ao boletim foi de 5,11%.

O atual decreto municipal sobre as restrições ao funcionamento do comércio e de circulação de pessoas, que, entre outras medidas, estabelece o toque de recolher às 18h, vale até o dia 12 de julho.

Segundo Paulo Bomfim, até lá, a prefeitura vai avaliar dia a dia a necessidade de prorrogação ou não da determinação. “Se necessário for, vamos estender”, afirmou.

Fonte: BNews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *