Prefeito de Uauá faz balanço sobre a realização do São João

Olímpio Cardoso

Grazzielli Brito – Ação Popular

O prefeito de Uauá, Olímpio Cardoso (PDT), fez um balanço positivo a respeito da realização do São João do município, que aconteceu em 10 dias de muita festa e alegria, mesmo após a grande polêmica, quando a Justiça concedeu uma liminar proibindo a realização e logo depois foi cassada pelo Tribunal de Justiça da Bahia.

Olímpio revela que o município enfrenta sim, dificuldade financeira por conta da seca, bem como por conta dos sequestros, realizados pele INSS, do recurso municipal, que já soma em torno de 900 mil reais. “Apesar de tudo o São João foi maravilhoso, toda população participou e ajudou no propósito de realizar o evento. Vários patrocínios e colaboração, tivemos recurso do Ministério do Turismo, Petrobrás, Banco do Brasil, Mineradora Caraíba, a São Luiz, vários outros empresários”.

(Fotos: Robson Rodrigues)

O prefeito disse que todos queriam a realização do festejo, tanto é que muitas pessoas até da oposição o procuraram no intuito de promover a festa. “Com a exceção do ex-prefeito, todos estão satisfeitos. Situação e oposição festejaram juntas a realização do São João em Uauá. O presidente da câmara municipal ajudou, ele patrocinou uma banda, alguns vereadores. Muitas pessoas quando sentiram o problema, pela falta de recurso e tentativa de poucos em não deixar acontecer nosso festejo, ajudaram pra realização do evento”.

Segundo Olímpio, ainda está sendo feito um levantamento de despesas e recursos destinados a realização da festa, mas garante que a Prefeitura Municipal entrou com bem pouco. “Não podíamos deixar de fazer. Muitas pessoas colaboraram, inclusive todas as atrações já foram pagas. Os valores vãos ser passados para toda a população e para a Justiça. Para se ter uma ideia em 2012 foram só três dias de festa e custou 850 mil, esse ano vocês vão ver que não chega nem a um décimo disso”.

Aproveitado a ocasião, o prefeito foi questionado a respeito das manifestações populares que vêm acontecendo no país. “Precisamos, urgentemente, de uma reforma política e tributaria. A receita precisa ser melhor distribuída. Já quanto a reforma política tem pontos importantes sendo levantados, entre eles o voto distrital, mas pra mim o mais importante é a unificação da eleição. Eleição de dois em dois anos promove uma corrupção maior”.

“Esses movimentos são necessários, mas não apoio baderna. Não admito que ninguém deprede o patrimônio publico e particular, não concordo com esse tipo de atitude”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *