Prefeito é condenado a devolver mais de 500 mil que foram desviados

Genilson Silva

Da Redação

Como se não bastasse as inúmeras denuncias apresentadas pela imprensa nos últimos dias, caiu como uma bomba a decisão do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM), que na sessão ontem (15/02), votou pela procedência da irregularidade contida no termo de ocorrência lavrado contra o prefeito Genilson Barbosa Silva (PT), cometida no exercício de 2011.

O relator, conselheiro José Alfredo Rocha Dias, imputou ao gestor multa de R$ 5 mil e determinou o imediato ressarcimento do montante de R$ 502.682,21 à conta do FUNDEB, utilizado em desvio de finalidade. Cabe recurso da decisão.

Na análise da documentação de receita e despesa do mês de janeiro de 2011, a Inspetoria Regional constatou que foram feitos pagamentos referentes a vencimentos de professores e demais servidores da educação básica, além de diversos fornecedores, do exercício de 2011, contabilizados, todavia, como Despesas de Exercícios Anteriores – DEA, em irregular e indevida utilização de recursos originários da conta específica do FUNDEB, contrariando a norma de regência.

As despesas em questão foram empenhadas e contabilizadas na Secretaria de Educação, sendo lançadas indevidamente no SIGA – Sistema Integrado de Gestão e Auditoria, como “Pagamento – Educação FUNDEB – parcelas de 60% e/ou 40%” .

Não obstante, o gestor, mesmo tomando conhecimento da irregularidade e comparecido, através de seu procurador, para obter cópia da mesma, não fez ingressar qualquer justificativa ao presente processo, caracterizando-se revelia.

Com informações do TCM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.